Goiás
Após impactos da prisão de João de Deus, empresas se erguem e devem gerar 300 novos empregos em Abadiânia (GO)

Três indústrias chegarão à região.

17/01/2020 00h46

O município de Abadiânia, em Goiás, após impacto negativo das denúncias contra o médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, que realizava atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola, tem passado por grave crise econômica. A cidade era importante referência do turismo religioso, e cerca de 90% da economia do município foi afetada com a prisão do médium. 

No entanto, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) anunciou a chegada de uma indústria de alimentos ao Distrito Agroindustrial de Abadiânia. O objetivo é suprir os impactos econômicos sofridos pelo município, podendo gerar 80 postos diretos de trabalho. Além disso, outras duas indústrias, uma de polpa de açaí e outra de saneantes, já ingressaram com a documentação para solicitar áreas no município. Juntas, as três empresas devem gerar 300 novos empregos.

Mesmo assim, o município ainda sofre com o desaparecimento de 2,5 mil empregos, muitos deles ligados ao turismo religioso. A Prefeitura seguirá investindo no parque industrial para atrair novos empreendimentos e, consequentemente, gerar novos empregos para a região.

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.