Pará
Após críticas, Segup e Ibama reafirmam termo de cooperação no Pará

O objetivo do termo é revigorar as vistorias de proteção ambiental no estado do Pará

30/01/2020 08h26

Nesta terça-feira, 28 de janeiro, em Belém, foi renovado o acordo de colaboração entre Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). O termo vem uma semana depois da manifestação em vídeo feito pelo senador Zequinha Marinho (PSC-PA), no vídeo o mesmo crítica o Ibama e reitera que solicitaria ao governo do estado que a Polícia Militar do Pará não colaborasse mais com as ações do Ibama.

De acordo com Zequinha, ao se reunir com o presidente do Ibama, Eduardo Bim, relatou “detalhadamente toda a situação vivida” pelos moradores da região, argumentou que não é trabalho do Instituto fazer “desintrusão de terra indígena”, ainda mais que aquela localidade ainda não é considerada como tal. Além disso, conforme, o senador os agentes ao retirarem as pessoas das terras teriam humilhado os moradores, principalmente, queimando carros, motos, bicicletas e casas.

O objetivo da renovação é fortificar as ações de proteção ambiental no estado do Pará e gerar amparo jurídico para os policiais que agem nas operações. O acordo vale por um período de doze meses e pode ser estendida por mais um ano, já tendo como base que todo material confiscado que possa interessar ao Estado seja enviado a Segup.

Uálame Machado, representante do Ibama, declarou que a: “PM apoia todos os órgãos de fiscalização, seja da área ambiental, fundiária, então é preciso de um cronograma para que a corporação atue em conjunto com essas forças”.

Outro ponto que reforça a necessidade dessa parceria contra o combate a crimes ambientais no estado, é que, de acordo com o Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia), o estado que mais apresentou áreas desmatadas foi o do Pará, com 47% do total, ou seja, aproximadamente 107 quilômetros de desmatamento apenas no território paraense.

Entretanto, esperamos que os fatos relatos pelo senador sejam apurados e, se comprovado, os agentes sejam punidos.