Coronavírus » Saúde
Álcool em gel caseiro pode aumentar a proliferação de micro-organismos

A eficácia dos produtos é duvidosa por causa das concentrações dos ingredientes e modo de preparo

22/03/2020 12h41 - Por Ranieri Vieira

Devido ao aumento de casos confirmados do novo coronavírus no país e da gravidade da situação atual, produtos destinados a prevenção como álcool em gel, luvas e máscaras passam a tornar-se escassos em alguns supermercados e farmácias. O desespero da população frente à situação fez com que pessoas preparassem receitas caseiras de produtos para higienização das mãos, como ensinado por vídeos pela internet.

No entanto, a eficácia dos produtos é duvidosa, pois para alcançar o resultado desejado com a higienização de mãos com álcool em gel, são necessárias concentrações específicas no produto, alcançadas em ambiente laboratorial com os equipamentos especializados e produtos que somente farmacêuticos e químicos possuem acesso.

A farmacêutica Luana Pereira adverte:
“Para que o álcool apresente assepsia ideal é necessário que o produto possua uma concentração de 70%. Ou seja, em um frasco de 100 mls de álcool 70%, que você compra nas farmácias, 70 mls são de álcool propriamente dito e 30 mls são água deionizada.
A água em sua concentração ideal facilita a entrada do álcool dentro da bactéria, através de desnaturação de proteínas presentes na membrana do microrganismo, além de retardar a volatilização (evaporação) do álcool, resultando em mais tempo de contato do produto sobre a pele e superfícies.
O álcool 70% ao entrar em contato com o micro-organismo causa uma desidratação e danificação de suas estruturas, deixando-o inativo, impedindo assim que invada as nossas células. Estudos demonstram que concentrações abaixo de 70% são ineficientes na eliminação destes agentes.
Concentrações acima do indicado, como 92% e afins possuem uma atuação ineficaz devido à rápida volatilização (evaporação), podendo gerar irritações na pele.”

Ela ainda completou:
“Ao realizar receitas caseiras, além de não atingir a concentração ideal (pois isso depende de cálculos e materiais específicos) você pode estar criando um produto rico em bactérias e vírus por utilizar materiais impróprios e potencialmente contaminados (água comum, géis de cabelo, potes de cozinha, etc.) fazendo com que a proliferação de micro-organismos seja ainda maior.”

Na falta de álcool em gel não há motivo para desespero, a higienização recomendada é a lavagem e secagem das mãos, de maneira correta, com água e sabão, realizada de maneira frequente, seguindo os protocolos de lavagem de mãos disponibilizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em: http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/controle/higienizacao_simplesmao.pdf

Fonte: ND Mais