Sem Categoria
Agnelo, o “Elefante Vermelho”, é condenado

As condenações são referentes à inauguração do CENTRAD, o Elefante Branco de Taguatinga

22/01/2020 13h43 - Por Jonas Fernandes

O ex-governador petista do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) foi condenado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ) por improbidade administrativa no processo referente à inauguração do Centro Administrativo do DF (CENTRAD).

Não há mais a possibilidade de recurso para a defesa do petista, que inclusive não comentará sobre o caso. A decisão é oriunda do processo movido pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

O petista burlou a lei diversas vezes para conseguir inaugurar o Centrad segundo o MPDFT. Dentre as principais ilegalidades cometidas, está a tentativa de aprovar dois decretos que acabavam com a exigência de documentos importantes, como o relatório de impacto de trânsito, para a emissão do Habite-se, que autorizaria a ocupação do imóvel.

Também foi condenado o ex-administrador de Taguatinga Anaximenes Vale dos Santos, na época, nomeado ao cargo pelo petista para emitir o Habite-se um dia antes da inauguração do Centrad. Vale informar que Agnelo exonerou o administrador anterior para atingir seus objetivos.

Quanto às punições, Agnelo teve seus direitos políticos suspensos por 5 anos, assim ficando inelegível para o pleito de 2022, seja como governador ou parlamentar, deverá pagar indenização de R$ 1 milhão, maior que o patrimônio por ele declarado nas eleições de 2014: em torno de R$ 906 mil, além de pagar multa civil correspondente a 10 salários de governador (R$ 250 mil). Já o ex-administrador teve a suspensão de seus direitos políticos e multa de R$ 500 mil.


Fonte: G1; Correio Braziliense e Veja.


Nota do Autor:

O Centrad continua desabitado desde sua inauguração fraudulenta em 2014, custando mais de R$ 6 bilhões, um verdadeiro Elefante Branco.

O estádio Mané Garrincha (que só abre para visitação aos sábados, tem um péssimo gramado e custou mais de R$ 2 bilhões em superfaturações) conta também com Agnelo no banco dos réus. Para quem não lembra do DF depois do Agnelo, fica esse curto parágrafo da matéria da Veja em 2014:

“O final da gestão de Agnelo é marcado por uma sucessão de notícias negativas: paralisação na coleta do lixo, greves frequentes de rodoviários, interrupção do fornecimento de comida a pacientes e funcionários de hospitais públicos, radares eletrônicos retirados das ruas.

 (Matéria completa em: https://veja.abril.com.br/politica/de-saida-agnelo-provoca-caos-nas-financas-do-df/)