Santa Catarina
Advogado condenado em Santa Catarina e procurado pela Interpol é preso no Paraguai

Venâncio Antonio Lonczynski estava sendo procurado pelos crimes de receptação qualificada, adulteração de veículos e uso de documentação falsa

14/02/2020 18h29 - Por Cícero Cardoso

O advogado Venâncio Antonio Lonczynski, condenado em Santa Catarina, foi preso nesta quarta-feira (13) pela polícia do Paraguai. Ele estava sendo procurado desde abril de 2019 pelos crimes de receptação qualificada, adulteração de veículos e uso de documentação falsa em crimes praticados quando atuava com a compra e venda de veículos, entre 2004 e 2007.

Inicialmente, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) condenou o advogado pelos crimes de adulteração de veículos e uso e fabricação de documentação falsa. Após o recurso do Ministério Público, chegou-se à conclusão de que ele também teria cometido o crime de receptação qualificada por revender os veículos. O reconhecimento desse novo crime causou aumento de sete para nove anos de prisão. O TJ-SC expediu o mandado de prisão de Venâncio em dezembro de 2017, desde então o advogado permanecia foragido.

Venâncio Antonio Lonczynski tinha como endereço profissional a cidade de Seara, no oeste de Santa Catarina. Conforme o Portal de Notícias G1, a Polícia Federal afirmou que o mandado de prisão foi expedido pelo juiz Douglas Cristian Fontana, da comarca de Seara, em segunda instância. Na época, a prisão após julgamento em segundo grau era permitida por lei.

Em abril de 2019, Venâncio teve seu nome incluído na lista de difusão vermelha da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol). A lista de difusão vermelha se refere à existência de um alerta expedido por autoridades judiciais de um país-membro da Interpol, cuja finalidade é a extradição da pessoa procurada. É o que ocorrerá com o advogado, que será encaminhado às autoridades brasileiras na cidade de Foz do Iguaçu (PR), nos próximos dias.

Fontes: G1; Diário do Iguaçu