Corrupção » Rio Grande do Norte
Adão Eridan condenado por improbidade administrativa

O ex-vereador recebia recursos federais por meio de fundação da qual havia sido presidente para financiar eventos.

13/01/2020 16h10 - Por Pedro Rebouças

O ex-vereador do Natal, Adão Eridan de Andrade, que recebeu em 2014 mais de 25 mil votos para Deputado Estadual, foi condenado hoje, dia 13 de janeiro, por improbidade administrativa.

Segundo o Ministério Público, o político se autopromovia realizando atividades e cursos junto à população utilizando recursos público de programas custeados por verbas federais por meio da Fundação Maria Neuzelides de Alencar Andrade, que tinha contrato com a prefeitura e recebia recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e da qual Adão foi presidente.

O uso indevido do dinheiro do pagador de impostos para a autopromoção e com intenções políticas é absolutamente imoral. Torna-se ainda mais grave quando se induz o eleitor a acreditar que se trata de eventos custeados às próprias expensas, como um ato de generosidade, quando o fato é que o próprio cidadão arca com o custo desses eventos.

Tentamos contato com o ex-vereador, mas não obtivemos resposta até o presente momento. A sentença de Adão Eridan prevê a suspensão dos direitos políticos, a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais por três anos, além de multa de 5 mil reais.

O político também foi condenado na Operação Impacto por corrupção, onde aceitou vantagens indevidas para que votasse conforme interessava a um grupo de empresários do ramo imobiliário e da construção civil na votação do Plano Diretor de Natal em 2007. Foi condenado à pena definitiva de cinco anos de reclusão e ao pagamento de 150 salários mínimos (fonte: https://mp-rn.jusbrasil.com.br/noticias/2997002/operacao-impacto-16-reus-sao-condenados-por-corrupcao).