fbpx
São Paulo
A máfia das creches

Polícia faz operação contra desvio de dinheiro e merenda de creches em São Paulo

15/09/2019 16h26 - Por Cynthia Capucho

Uma das creches investigadas
(Foto: Folha de São Paulo)

Na manhã desta quinta-feira (12) a polícia iniciou a operação Misantropia, para investigar uma possível máfia das creches municipais por desvio de dinheiro e merenda, apropriação indébita, formação de quadrilha e ocultação de patrimônio. Por enquanto, essa operação é de busca e apreensão e foram cumpridos em dezesseis endereços ligados aos suspeitos de chefiarem a máfia das creches. Um grande reforço operacional foi montado para realizar essa operação, quarenta e oito policiais civis e sete delegados participaram.

Nos endereços visitados, foram apreendidos sete veículos de luxo, além de computadores e celulares.

As entidades administradoras de creches investigadas são as associações Águas Marinhas, A Criança de Deus, Mulheres da Cidade Tiradentes e Casa da Mulher da Cidade Tiradentes.

Foi autorizado pela Justiça o mandado de busca nas duas creches, a CEI Lucia Prestes, na Vila Zefira, e a CEI Edígio Corsi, ambas na zona leste.
A operação teve início após a denúncia de desvios de valores de FGTS e INSS de funcionários e falsificação de guias entregues à prefeitura. Os casos viraram diversos processos trabalhistas. A prefeitura pode acabar sendo responsabilizada e sofrer prejuízo pelo rombo.

O que chamou a atenção da escrivã do caso, Patrícia Marcomini, foi o acúmulo de processos com dívidas, que fez com que a escrivã ouvisse os ex-funcionários das empresas que processaram as entidades e acabou encontrando indícios da ação de uma quadrilha que havia cometido diversos outros crimes.

Uma funcionária relata que houve desvio de alimentos em uma unidade. “A comida era colocada em sacos pretos levados em um veículo, fazendo assim, a subtração desses alimentos destinados à creche”.

A gestão Bruno Covas (PSDB) afirmou que descredenciará as entidades investigadas sob suspeita de fazer parte de uma máfia das creches terceirizadas.

A partir da próxima segunda-feira (16) novas entidades devem gerenciar as creches, afirma o secretário municipal de educação, Bruno Caetano.

Fonte: Folha de SP