Minas Gerais
A direita novamente venceu o nazismo

Isso acontece por uma razão simples mas que pode ser um tanto dura para nossos amigos lacradores, a verdade é que eles não tem moral para criticar nem o nazismo.

17/01/2020 18h22 - Por Ivan Gunther

O pronunciamento do então secretário de cultura do governo federal, defendendo uma tutela estatal da arte ao som de Richard Wagner reproduzindo uma estética nazista foi alvo de protestos que causaram sua queda. E não demorou para que aparecessem lacradores de twitter e militantes esquerdistas para comemorar a demissão do secretário, como se tais militantes tivessem alguma participação nisso além do habitual barulho que não é levado a sério nos últimos anos.

 Não é preciso lembrar ao leitor que absolutamente todos os membros do governo, e mesmo os setores da direita que não fazem parte do governo são tratados como criminosos nazistas pela militância esquerdista histérica. Tal militância que vive em um mundo onde quem não acredita em 27 gêneros é o Hitler perdeu qualquer função como oposição. A queda de Roberto Alvim teve como protagonistas os liberais que repudiam qualquer tentativa de controle da cultura, os judeus que não admitem que ecos do nazismo venham do passado para envenenar o presente. Enquanto isso a esquerda que posa de entidade combativa nada de relevante fez para garantir a exoneração.

Isso acontece por uma razão simples mas que pode ser um tanto dura para nossos amigos lacradores, a verdade é que eles não tem moral para criticar nem o nazismo. Não tem moral para criticar Hitler quem apoia Nicolás Maduro, não tem credibilidade uma crítica ao nazismo feita por um apoiador do regime chinês que também mantêm campos de concentração, não é possível se dizer amante da liberdade e apoiar o regime de terror da Coreia do Norte.

Restou aos liberais o dever de combater as ideias nazistas, porém isso não é nenhuma novidade, afinal na Segunda Guerra Mundial aconteceu a mesma coisa. Hitler e Stalin brigavam para implementar o totalitarismo enquanto as potências ocidentais lutavam por ideais cuja semelhança com a liberdade e a democracia eram muito maiores. Essa diferença ficou clara depois da guerra quando os países que ficaram na esfera de influência ocidental viram surdir uma era de prosperidade enquanto países que ficaram sob o domínio soviético apenas ganharam um Hitler com um bigode mais farto e uma política menos eugenista.

A participação da esquerda brasileira nesse episódio lembra a fábula do menino que gritava lobo e enganava os moradores de sua vila, um dia o lobo de verdade apareceu e ninguém acreditou nos gritos do menino. A esquerda insiste em fazer acusações mentirosas de nazismo, e quando o nazismo de verdade aparecer ninguém vai dar crédito quando os lacradores do twitter estiverem fazendo escândalo com razão.