Kaique Dionísio
Um carioca genuíno em meio a tantos paulistas. Escrevo textos mais longos para o @midiainsurgere.
Ministro de Bolsonaro pede a cabeça de comentarista no Twitter
Fabio Faria ainda não respondeu quando vão fechar a TV Lula

O genro do Sílvio Santos está nervoso hoje. Resolveu digladiar com comentaristas no Twitter. Baixo e sem convicção, apelou até mesmo para a família do adversário.

O colunista Carlos Andreazza, do jornal O Globo, criticou a "inauguração de postos de wi-fi" pelo governo.

O "Ministro da Verdade", como Andreazza o chama, respondeu.

A discussão continuou pelo Twitter, seguida pela baixeza do Ministro das Comunicações.

O Faria, bem relacionado com os governos petistas, agora é um conservador tal qual Roberto Jefferson, um mensaleiro. Nisto se reduz o "conservadorismo" brasileiro.

O Ministro é um exemplo de convicção. Veja a imagem do ministro conservador abaixo:

O conservador Fábio Faria, na falta de compostura digna de um ministro de Estado, usa a família do adversário como argumento:

Quando questionado sobre a promessa de campanha de seu patrão, Jair Bolsonaro, o ministro respondeu:

O ministro menciona Rafael Furlanetti e Guilherme Benchimol, chefes da XP, empresa onde o colunista Felippe Hermes trabalha. É pura intimidação.

Como escrevi noutro artigo, se fosse nos governos petistas, estaríamos nas ruas. Criticar o governo - ou fazer uma simples pergunta - é motivo de demissão e prisão.

Relembre o que escrevi ontem, 5 de março:

Antes das eleições, temiam que Bolsonaro mandaria prender jornalistas. Irreal? Não importa mais. A questão é que está acontecendo, de modo indireto ou não, mas está acontecendo.

No Acre, um jornalista interpelou - educadamente - o presidente sobre a anulação da quebra de sigilo bancário e fiscal de seu filho, Flávio Bolsonaro. O presidente encerrou a coletiva antes mesmo de o jornalista terminar sua pergunta.

Dias depois, jornalista demitido. Sem mais nem menos. Pela imprensa? Não. Ele não tinha contrato com o Estadão. Foi demitido pelo prefeito, um dos únicos vitoriosos apoiados pela presidente na última eleição. O jornalista sofre ameaças desde quando fez a pergunta que desagradou o presidente.

O jornalista trabalhava também na prefeitura e estava de folga no dia. Nas folgas, fez "bicos". Mas foi demitido pelo prefeito bolsonarista.

Esses dias, um "jovem" fez uma publicação, uma piada, sobre o presidente. Coisa que os bolsonaristas odeiam - claro, quando não é com a Marielle.

A polícia militar de Minas Gerais o rastreou e prendeu. "Gente, Bolsonaro em Udia [Uberlândia] amanhã…Alguém fecha virar herói nacional?", era a postagem do jovem.

Ah, se fosse noutros tempos…estaríamos nas ruas.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria