Kaique Dionísio
Um carioca genuíno em meio a tantos paulistas. Escrevo textos mais longos para o @midiainsurgere.
Ex-presidente do INEP chama Milton Ribeiro de "omisso" e "covarde"
Alexandre Lopes DETONA ministro da Educação em entrevista; entenda

Alexandre Lopes, ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o INEP, foi entrevistado pelo jornal O Globo.

Lopes comentou sobre a tragédia que foi o Enem passado na gestão de Milton Ribeiro.

"No primeiro dia da aplicação do exame, que tivemos os casos de algumas pessoas que não conseguiram fazer as provas, o ministro se mostrou bastante irritado à noite, quando chegou ao Inep para a coletiva. E falou que não tinha sido comunicado sobre aquilo, o que é uma mentira, porque eu falei as medidas que a gente estava tomando. Mas o que aconteceu foi que, no dia seguinte, segunda-feira de manhã, pedi formalmente uma reunião com ele para falar do Enem. Ele recusou a reunião, através das secretárias. Aí tivemos o segundo dia de execução do Enem. Na outra segunda-feira, pedi novamente uma reunião presencial com ele e ele recusou de novo. Na segunda recusa, ele falou que nós íamos ter um despacho semanal. No despacho semanal, ele não apareceu, pediu que o executivo me recebesse. O Enem acontecendo no Brasil, em meio a uma pandemia, com todas as dificuldades, e o ministro se recusou a me receber. Eu só conseguia falar com ele por WhatsApp, mandei mensagens".

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, boicotou o Enem e o presidente do INEP no meio de uma pandemia.

"O impacto prático é que eu tive que tomar as decisões sozinho em relação ao Enem".

Quando perguntado sobre qual seria a justificativa de Milton Ribeiro para não recebê-lo, Lopes disse:

Eu não sei, talvez ali ele tenha decidido me substituir. Acho que ele queria, com covardia, (passar a ideia) "não tenho nada a ver com esse negócio do Enem. Deu errado, eu estava alheio. Ninguém me falou nada". Acho que ele queria fugir da responsabilidade.

Segundo ele, Milton Ribeiro deixou que Lopes decidisse sozinho sobre a operacionalização do ENEM.

Não. Foi omisso, totalmente omisso. Mandei um ofício mostrando a deficiência de Orçamento para esse ano. Ele resolveu simplesmente deixar de fazer quase tudo que o Inep ia fazer. O orçamento para o Enem era cerca de R$ 200 milhões e o Enem custa cerca de R$ 700 milhões. Ao contrário da covardia e da incompetência do ministro Milton Ribeiro, se eu fosse (igual a) ele, ano passado não tinha Enem. Tive que conseguir um valor extra por causa da Covid. Se ele for seguir o Orçamento desse ano, são R$ 200 milhões para o Enem, não tem exame por esse orçamento.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria