Israel Russo
Jornalista e professor de filosofia.
Um governo às avessas
Jair Bolsonaro consegue fazer o exato oposto das pautas de campanha que o elegeram

No episódio em que a youtuber Cris Bernart questiona o presidente Jair Bolsonaro no cercadinho do gado, ele hostiliza a ex-apoiadora após ouvir a frase que lhe afeta profundamente: "O senhor traiu o Brasil".

Bolsonaro inverso
Bolsonaro inverso (Imagem editada)

E lhe afeta por ter sua veracidade sustentada em atos do próprio presidente. Como o título diz, temos um governo às avessas, pois traiu seu eleitor e fez tudo ao contrário do que havia proposto em campanha, algo que seu ex-aliado, Major Olímpio, já havia alertado dias atrás.

Hoje, as forças políticas e sociais que fazem a principal oposição ao governo Bolsonaro são seus eleitores e ex-apoiadores, pois a esquerda – especialmente o PT – está tirando proveito das incredulidades do governo para sujar o nome da direita.

O cidadão está indignado por ter votado em um covarde, que dizia ser o único capaz de governar sem as tramóias com corruptos, sem o toma lá, dá cá com as estatais de fundos bilionários para o centrão.

"O que foi tornará a ser, o que foi feito se fará novamente; não há nada novo debaixo do sol", dizia Salomão em Eclesiastes. O pregador estava certo, Bolsonaro se auto-intitula conservador, mas só conservou o jeitinho petista de governar.

Prometeu reduzir os ministérios para 15. Hoje já estão chegando a 24 e com chances de aumentar, com o único propósito de satisfazer os anseios dos tubarões da política.

Recriou o "Ministério da Propaganda" e entregou para o genro de Silvio Santos, deputado Fábio Faria, que é do partido de Kassab e um lulista enrustido que agora tenta esconder seu passado vermelho.

Um governo às avessas, que traiu a pauta anticorrupção, a agenda liberal, traiu seu eleitor e traiu a Constituição; tudo em troca de tentar se preservar no poder e não ser coercitivamente conduzido a Bangu 8.

continua em outra matéria