Antônio Cabrera
Veterinário, médico e ex-ministro da Agricultura.
650 mil aves serão abatidas e não irão para consumo
A elite da justiça trabalhista se julga no direito de impor o que deve e não deve ser feito na sociedade

“De toda ignorância, a ignorância dos educados é a mais perigosa. As pessoas instruídas não apenas têm mais influência, como são as últimas pessoas a suspeitar que não sabem do que estão falando quando saem de seus campos estreitos.“
Thomas Sowell

Se existe uma lembrança saborosa daqueles que passaram a infância na fazenda, era a alegria do momento em que se recebia alguma visita:
“Fulana, mata um frango…”

Não apenas saborosa, mas o frango passou a ser motivo de orgulho para todos os brasileiros.
Nos últimos 30 anos, o Brasil aumentou a produção de carne de frango em 575%.
Somos o maior exportador mundial do produto, atendendo a 160 mercados e gerando na cadeia produtiva cerca de 3,5 milhões de empregos no país.
Tudo isto apesar do Estado.
Sim, pois se o Estado se torna mais poderoso que a sociedade, ele se encaixa na definição do totalitarismo.
E esta é a melhor forma de definirmos a nossa Justiça de Trabalho.
Demonstrando mais uma vez total desconhecimento das atividades produtivas, os órgãos trabalhistas interditaram um frigorifico no Sul do país.
Como esta elite da justiça trabalhista se julga no direito de impor o que deve e não deve ser feito na sociedade, estes burocratas são fundamentalmente inconsequentes às exigências do mundo real.
O resultado é que até na próxima segunda 650 mil aves terão de ser abatidas e não serão levadas para consumo.

George Orwell chegou a dizer que algumas decisões são tão estúpidas que apenas um burocrata poderia acreditar nelas, já que o homem comum nunca se faz tão tolo.
Estes funcionários públicos operam sob a suposição de que o conhecimento se encontra apenas em pessoas como eles, pois agem em nome de um alegado espirito público.
O problema é que eles vivem em um mundo repleto de coisas como estabilidade de cargos e privilégios imensos, além de não prestarem contas de quaisquer erros efetuados pelas suas decisões absurdas.
Pior, eles estão isolados das consequências materiais que estão impondo a centenas de pequenos criadores.
No mundo verdadeiro, eu e você somos obrigados, fundamentalmente, a viver no mundo da realidade, uma realidade que não perdoa este tipo fantasia.
Um dos maiores direitos humanos é o direito à comida.
O alimento é hoje a mais forte moeda do século XXI. Isto descortina o futuro do Brasil, um país que alimenta cerca de 2 bilhões de pessoas ao redor do mundo.
Um futuro brilhante que poderia estar bem mais próximo, mas que teima em se distanciar pelas desastradas decisões burocráticas de nossa maquina pública.

continua em outra matéria