fbpx
Sem categoria
Witzel e a espetacularização da segurança pública

“Prender maconheiro” e “matar vagabundo” não resolverá os problemas do Rio de Janeiro.

01/08/2019 13h54

O Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) anunciou que irá mandar prender quem fumar maconha na praia. O anúncio é forte, como a maioria das declarações do Governador que gosta de atuar como Rambo nas horas vagas – quem lembra quando Witzel gravou um vídeo subindo em um helicóptero e para supostamente combater o crime com tiros de fuzil? – parece não entender que a Lei de Drogas (11.343/06) em seu artigo 28 diz que o sujeito que estiver com maconha para consumo pessoal está sujeito apenas a três penas: advertência, prestação de serviços ou medida educativa, e não cadeia.

A medida seria flagrantemente inconstitucional se fosse verdade. Witzel sabe disso. Ele também sabe que na civilização do espetáculo o que importa é chocar o público e não falar a verdade. O que importa é ser o mais espetaculoso possível, é subir em cima de um helicóptero e fingir que vai acabar com o problema da criminalidade no Rio de Janeiro sozinho, na unha.

Por um bom tempo a direita caçoou de Marcelo Freixo (PSOL), dizendo que pra ele o problema da segurança pública seria resolvido a base de iluminação. De fato, iluminação é algo importante e que inibe o crime, mas nem de longe é a solução dos problemas. Me estranha parte da direita defender que medidas como “fuzilar bandido” e “prender maconheiro” irão resolver a questão da segurança pública. O “prender maconheiro” é uma medida que faz com que a polícia acabe se focando com aquilo que não é prioridade, além de ser de difícil execução. O “prender maconheiro” é uma espécie de “põe iluminação que fica tudo bem”. Witzel sabe que para sua popularidade aumentar, é mais fácil dizer que ele irá prender maconheiro e matar vagabundo do que apresentar ao Rio de Janeiro políticas públicas de integração das polícias, inteligência e prevenção ao crime.

24 anos, formado em Relações Internacionais (ESPM) pós-graduado em Ciência Política (FESPSP) e mestrando em Gestão e Políticas Públicas (FGV).