Destaque » Economia
Por que não ensinaram isso na escola?

Como a curva de Laffer explica a diminuição da receita com o aumento dos impostos

10/02/2020 11h30

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer dele não se desviará.”

                               Pv 22:6

Se é uma coisa que todo pai ou avó precisa entender é que o que acontece em uma sala de aula não fica na sala de aula.

Nós temos hoje dois tipos distintos de educação; uma é do tipo que gostaríamos para nós e para nossos filhos, a outra, em grande parte, é uma ideologia imposta ao público pelo aparato educacional do governo.

Em nossas escolas, cada vez mais se suprime a transmissão de conhecimento, substituída pela transmissão das crenças ideológicas de muitos profissionais do ensino.

Estou em Nashville, com a minha filha caçula de 16 anos para um encontro da Young America’s Foundation. Estou impressionado com o evento.

Imaginava um evento simples, para a juventude, mas encontrei um programa sisudo e bem estruturado.

Além de senadores e deputados, eu mesmo fiquei interessado e acabei assistindo uma das palestras no meio da garotada.

Este acima é o economista Arthur Laffer e o seu trabalho mais notável é a Curva de Laffer.

É simplesmente uma representação gráfica da noção de senso comum de que a taxa de impostos elevados pode resultar em menos receita por causa da redução do nível da produção, poupança, investimento e empreendedorismo.

Um resultado potencial da curva de Laffer é que aumentar as alíquotas além de certo ponto torna-se improdutivo, à medida em que a receita também passa a diminuir.

O interessante é encontrar uma pessoa deste calibre entre jovens estudantes. Deixe-me explicar.

Ronald Reagan compreendeu a importância da mensagem de Laffer (ele trabalhou com Reagan) e reduziu drasticamente as taxas de impostos sobre o setor produtivo durante os seus dois mandatos.

Da mesma maneira, ele assessorou Margaret Thatcher no Reino Unido, promovendo também uma redução nas alíquotas tributárias.

Ah, o presidente Trump aplicou diversas reduções de impostos em seu governo, baseando-se nas ideias de Arthur Laffer.

Tanto que no mesmo momento, chegou a homenagear Laffer, concedendo-lhe a Medalha Presidencial da Liberdade – maior honraria civil americana.

Fiquei impressionado em assistir Laffer conduzindo mais de 600 jovens no salão afirmando que “imposto não é uma questão de esquerda ou de direita, mas é uma questão de matemática”.

Simples, quando as taxas de imposto são punitivas, as pessoas ganham e/ou declaram menos renda ao governo.

E quando as taxas de imposto são razoáveis, por outro lado, as pessoas ganham e/ou declaram mais renda ao governo.

Se você não sabe por que nossos jovens deixam a escola sem a mínima noção de educação financeira, este evento foi a resposta.

Infelizmente a maior conquista de nosso sistema educacional, na maioria das vezes, é produzir uma amnésia cultural e uma falta de curiosidade pela economia do mundo produtivo e a sua relação com o sistema tributário.

O que vi aqui é que a melhor maneira de combater este canto da sereia de um governo gigante é dizendo a verdade!

E dizendo desde a tenra idade, pois mesmo quando se tornarem adultos, não esquecerão que gastos governamentais exagerados significam mais impostos sobre o povo.

Antônio Cabrera Mano Filho é um veterinário e político brasileiro. Antônio foi ministro da Agricultura no governo Fernando Collor, entre 3 de abril de 1990 a 2 de outubro de 1992.