Interesse Público
O valor da velhice: maturidade e experiência

“Você nunca é tão velho que não possa vencer novamente ou que não possa sonhar novamente”

06/03/2020 13h31

“Expirou Abraão; morreu em ditosa velhice, avançado em anos….”
Gn 25:8

A Bíblia olha para a velhice de maneira exatamente contrária à da nossa cultura. Ela vê a idade mais avançada como sinal de bênção e repetidamente nos convoca a honrar os mais velhos.

Veja isto: Todos os candidatos viáveis a presidência dos EUA até o início desta semana eram septuagenários, exibindo a tendência demográfica que cada vez mais pessoas têm vidas mais longas e são ativos por mais tempo.

Do lado Democrata, Bernie Sanders tem 78 anos, assim como Mike Bloomberg. O ex-vice-presidente Joe Biden tem 77 anos e a senadora Elizabeth Warren tem 70 anos.
Pelos Republicanos, Donald Trump tem 73 anos e o desafiante pela indicação, Bill Weld, tem 74 anos.

Quando Trump assumiu a presidência, com 70 anos, ele foi o mais velho presidente a assumir o cargo nos EUA. Ou seja, ao que tudo indica, quem assumirá o cargo da presidência em 2021 vai bater este recorde.

Veja esta foto de um notável Prêmio Nobel, Vernon Smith.

Quando Vernon ganhou o Prêmio Nobel de Economia ele tinha 75 anos. Isto permite, sem dúvida, afirmar que este será o século da maturidade.

Tal prova é que a população mundial está mudando: pela primeira vez, há mais pessoas com mais de 64 anos do que crianças menores de 5 anos.

Infelizmente a velhice é um privilégio que nem todos desfrutam. Talvez seja o momento de relembrar as sábias palavras de C.S. Lewis:

“Você nunca é tão velho que não possa vencer novamente ou que não possa sonhar novamente”.

Todos as pessoas acima são indivíduos que não se aposentaram de si mesmos e recusaram as regras antigas de que deveriam se “comportar como velhos.”

Pelo contrário, se antes se dizia que a vida começa aos 40 (ou aos 50), para estes com certeza a vida começa aos 70.

Ah, um detalhe, o governo atual tem 5 ministros com mais de 70 anos, inclusive Paulo Guedes, da Economia.

Antônio Cabrera Mano Filho é um veterinário e político brasileiro. Antônio foi ministro da Agricultura no governo Fernando Collor, entre 3 de abril de 1990 a 2 de outubro de 1992.