fbpx
Educação
O Professor que dá aula e Humorista que não faz rir

Ricardo Mensageiro é Rapper nascido na periferia da zona sul de São Paulo. Integrante do grupo de RAP gospel Mensageiros da Profecia e um dos poucos no RAP que defende ideias cristãs, conservadores e liberais

20/11/2019 19h53 - Por Ricardo Mensageiro

O que era para ser um debate respeitoso sobre um tema delicado entre dois lados da mesma moeda, e acabou sendo a aula de um notável professor para um aluno “engraçadinho”, (daqueles que sentam no fundão e que taca papel nos coleguinhas).

Quem assistiu ao programa Pânico na JP ontem dia 19/11/2019 um dia antes do feriado da consciência negra, deparou-se com um diálogo no mínimo curioso. De um lado o professor Paulo Cruz trazendo uma reflexão equilibrada e cheia de referências, sempre tentando construir um ambiente de diálogo amigável.

Do outro o humorista Yuri Marçal que adotou como estratégia de debate encarnar um “personagem”, O Homem Branco. Durante o “debate” o personagem Homem Branco de Marçal ficou a maior parte do tempo em silêncio, e quando se manifestava era com interjeições ahã, hum, uhum.

Yuri queria passar a impressão de que um homem branco sempre concorda com tudo que Cruz disser, por se tratar de uma visão que beneficia os brancos em detrimento dos negros, nada surpreendente tratando-se de um militante. No ápice de sua irônica arrogância chegou a aplaudir o professor, deixando um desconforto visível nos membros da bancada.

O que parecia é que Marçal não estava ali para debater, nem tão pouco para fazer rir. O objetivo aparente era ridicularizar e relativizar a figura de um professor também negro que ousou pensar além da cosmovisão marxista de luta de classes a ele imposta, que preferiu estudar a fundo ao invés de crer na narrativa vigente.

Para Marçal ou você enxerga negros oprimidos por brancos opressores, ou deve ser ridicularizado. Pensamento típico de um militante que prefere ideologias mastigadas regadas a sentimentalismo ao enxergar a crua realidade.

Paulo Cruz falou da importância das referências de sucesso para juventude negra da periferia, e destacou negros notáveis que são escanteados pela militância. Dentro desse raciocínio. Qual é o exemplo de sucesso para juventude negra? O Professor que da aula ou Humorista que não faz rir.