fbpx
Amazonas » BR-319 » Missão MBL
Missão BR-319: Sol do Amazonas, poeira e dor.

Sol amazonense tem sido a principal dificuldade.

14/08/2019 19h18

Não tem sido nada fácil essa caminhada, só quem já esteve no Amazonas sabe o que é o sol das 12:00h. Nosso grupo tem aproveitado bastante o fim da tarde e início da noite, é o período que conseguimos ser mais produtivos na caminhada. As dores têm sido constantes. Muitos calos, dores musculares, e dores nos joelhos. Mas tudo tem corrido muito bem até agora.

Os dois policiais militares que estão conosco, avisaram que o corpo demora cerca de 3 dias para se adaptar às novas condições. Mesmo com todas essas provações, o apoio das pessoas tem sido muito grande. Muitas pessoas tem nos comprimentado no acostamento da rodovia. Muitas até nos chamam de doidos, buzinam, tiram fotos, e assinam o nosso manifesto.

Estamos nos aproximando cada vez mais da parte onde afirmam que existem muitas onças. A gente dorme meio com medo de acontecer alguma coisa. Na noite de segunda para terça-feira, no meio da madrugada, ouvimos uma espécie de rugido vindo em nossa direção. Todos se assustaram. Os policiais chegaram até a sacar a arma. Não temos certeza se realmente era uma onça pintada. Mas todo cuidado é pouco. Conversamos com um senhor no caminho, ele nos contou que todos os anos, as onças somem com cinco, seis pessoas.

  A poeira é horrível, temos que a todo momento proteger o nariz, andar com máscaras, bandana por cima, e os chapéus que nos protegem um pouco do sol. Estamos chegando em um Distrito que se chama Realidade, uma espécie de vila onde moram algumas centenas de pessoas. Vamos chegar, falar um pouco do nosso ato, e colheremos assinaturas. Depois de
Realidade, não teremos praticamente contato com outro grupo grande de pessoas.

 Provavelmente ficaremos sem conexão nos próximos dias , na verdade já estamos. Todo material que estamos produzindo está chegando a vocês por que muitas pessoas estão nos ajudando, uma delas é o Emerson Auler, ele é o Presidente da Associação Transparência de Humaitá. Só para vocês terem uma ideia, ele mora em Humaitá, e está indo todos os dias de carro até nós, colhe todo o material, volta para a cidade e envia tudo. Poucas pessoas ajudaram tanto esse projeto quanto ele.

Nós não iremos desistir dessa caminhada, continuem nos acompanhando, o amazonense não desiste facilmente de nada. A bem da verdade, é por que somos brasileiros, e vocês já sabem, a gente não desiste nunca!