fbpx
Congresso Nacional
Exclusivo | Senador Jorge Kajuru: “Estou cagando pra imprensa”

“A Globo se eu morrer eles não noticiam, agora, se a Globo morrer eu irei noticiar e até tomarei um champagne pra comemorar.”

04/02/2019 17h25

Momentos antes da eleição à Presidência do Senado Federal, a equipe do MBL News foi recebida pelo recém-empossado Senador Jorge Kajuru (PSB-GO). Kajuru recebeu nossa equipe e concedeu uma entrevista exclusiva sobre alguns de seus posicionamentos, incluindo qual seria o seu voto à Presidência do Senado Federal. Confira a entrevista exclusiva a seguir:

 

Renato Battista: Senador, a eleição do Senado será muito em breve, com as candidaturas de Davi e Renan. Qual resultado o senhor espera da eleição?

Jorge Kajuru: Primeiro, um abraço a todos vocês. Escrever o que quer e pensa é como ser herói da resistência. O resultado eu não sei, pois a eleição é muito difícil e o que tem de traidor não é brincadeira. Se for voto secreto, esquece. Renan Calheiros ganhou a eleição. Em minha opinião haverá uma surpresa: voto aberto, se o Senador Davi Alcolumbre presidir a sessão, que é o que o povo quer. Pra mim, voto secreto é crime. Vou votar no Davi Alcolumbre, pois ele foi a Goiânia e ficou 6 horas comigo e aceitou minhas condições: assinar um documento depois de ser eleito dizendo que mudará o regimento interno para o Senado não ser um puxadinho do Planalto. O Presidente do Senado pode fazer o que quiser! Tem mais de 300 cargos e não sei o quê, e o único que prometeu que trabalharia com todos os colegas e espaços iguais, sem injustiças, foi o Davi Alcolumbre, que ganhará meu voto.

Renato Battista: Senador, você assumiu hoje seu mandato. Quais serão suas prioridades?

Jorge Kajuru: Meu primeiro projeto será propor o fim da reeleição. O Presidente Bolsonaro falou demais na campanha que ele seria contra esse maior câncer do Brasil que é a reeleição. Curiosamente, depois que foi eleito ele nunca mais falou disso. Acho que ele está gostando e está querendo ficar os 8 anos. E eu gosto dele. Falei com ele por telefone e ele me perguntou “Kajuru, você vai me ajudar?” e eu disse “O que for correto eu te apoio e te aplauso, o que for errado eu meto o pau. Não vou te ofender nem nada. Criticarei com respeito” ele brincou comigo e disse que eu sou um “assassino” por ter “matado” o Marconi Perillo lá em Goiás. Marconi ficou em 5º lugar. Mandei-o pros quintos dos infernos.

Também entrarei com o pedido de CPI do Esporte, junto com a Senadora Leila do Vôlei (PSB-DF). Muita gente quer participar dessa CPI: o Senador Álvaro Dias (PODEMOS-PR), o Senador Romário (PODEMOS-RJ) que é meu irmão, o Major Olímpio (PSL-SP), o Randolfe (REDE-AP). Quero mostrar no primeiro dia o motivo de estar aqui. Eu fiz história na televisão brasileira e vou fazer história aqui nestes 8 anos.

Renato Battista: O senhor defendeu que abriria mão de alguns privilégios que o cargo de Senador lhe oferece, quais serão?

Jorge Kajuru: É importante. Agradeço esse espaço, pois a imprensa não fala disso. E eu estou cagando pra imprensa. A única imprensa que me deixou falar tudo foi a Rede Record. A Globo se eu morrer eles não noticiam, agora, se a Globo morrer eu irei noticiar e até tomarei um champagne pra comemorar. Eu fui vereador por 1 ano e meio e abri mão de 100% do meu salário, pois não preciso de dinheiro público pra viver. Tenho patrocínios nacionais nas minhas redes sociais e ganhei meu dinheirinho na televisão, pois tinha salários muito altos. Então, registrei em cartório antes de ser eleito que abriria mão de qualquer privilégio, isso como vereador. Eu moro em Goiânia, como precisaria de carro oficial para ir à Câmara? Dava pra ir de bicicleta! Em Brasília também não terei carro oficial. Pode ir lá e verificar com a Diretora do Senado. Eu não quero carro oficial, odeio carro preto, gosto de carro azul. Tenho nojo de carro preto. Não quero motorista, não quero celular, gasolina, recusei tudo; Auxílio mudança? Tá de brincadeira! Eu moro em Goiânia e gastei 200 reais de gasolina para vir de carro até aqui e trouxe duas malas. Como ia pegar 34 mil reais de auxílio mudança? Isso é piada. Auxílio moradia é uma piada também. Moro num flat perto do Senado e pago 2,2 mil reais por mês e pago 300 reais de lavanderia. Você acha que vou pegar 6 mil reais de auxílio moradia? Tem Senador que pega os 6 mil e mora em flat de 2 mil e embolsa os outros 4. Isso é brincadeira! Respeito ao dinheiro público eu não abro mão. O Senador aqui recebe 9,3 mil reais por mês pra gastar com correio. Eu mando “zap” e e-mail! Não sou carteiro! Não tenho carta pra mandar pra ninguém. Não aceito esse dinheiro. Reforma do gabinete? Olha só, aqui é bonito. Aliás, é um exagero! Pra que tão grande? Queriam reformar tudo isso aqui e eu não deixei. E por isso eu apoio o que o ministro Paulo Guedes, que é meu amigo, está propondo que é cortar gastos e privilégios. Auxílio almoço? Jantar? O Senador vai almoçar com 8 pessoas, toma vinho, gasta 2 mil reais e no dia seguinte pede reembolso. Passagem aérea? Moro em Goiânia e posso vir de carro. Jatinho particular em verba indenizatória? Você acha que vou gastar dinheiro público com isso?

Renato Battista: Uma das propostas que será tema de discussão aqui no Senado é a reforma da previdência. Qual a sua opinião sobre o projeto?

Jorge Kajuru: Se for a do Temer eu mando ela pra p*** que pariu. Se ela aceitar ajustes e emendas eu aprovo, evidentemente. O Brasil precisa de uma reforma da previdência.

 

Durante a votação, o Senador Kajuru abriu algumas enquetes no Facebook para decidir seu voto. Na primeira delas, incluiu apenas o Senador Reguffe e a opção de anular o voto. Depois de pedidos dos internautas, confirmou seu voto em Davi Alcolumbre, que acabou eleito Presidente do Senado Federal com 42 votos no primeiro turno.

 

 

24 anos, formado em Relações Internacionais (ESPM) pós-graduado em Ciência Política (FESPSP) e mestrando em Gestão e Políticas Públicas (FGV).