fbpx
Sem Categoria
Bolsonaro não é Trump. Bolsonaro é Salvini

Por Renato Battista  Matteo Salvini é o atual Vice Primeiro-Ministro da Itália e Ministro do Interior. Jair

26/10/2018 11h52

Por Renato Battista 

Matteo Salvini é o atual Vice Primeiro-Ministro da Itália e Ministro do Interior. Jair Bolsonaro é o próximo Presidente da República do Brasil. Bolsonaro é capitão reformado do exército e Salvini foi apelidado de Capitão por seus apoiadores. Este artigo mostrará algumas semelhanças entre o líder político italiano e o deputado brasileiro.

Salvini e Bolsonaro tem carreira política semelhante. Salvini se filiou ao seu partido Liga do Norte em 1990, foi membro da Câmara Municipal de Milão, foi eurodeputado no parlamento europeu, é membro do Senado italiano e atualmente ocupa o cargo de Ministro do Interior na Itália. Bolsonaro já foi vereador por um mandato e deputado federal por sete mandatos até se candidatar ao cargo de Presidente da República nestas eleições.

Ao final das eleições italianas, a coalizão de centro-direita que Salvini fazia parte juntamente com o partido de Berlusconi (Força Itália), foi a mais votada das eleições realizadas em março deste ano, porém, sem maioria para governar, teve de se unir ao Movimento 5 Estrelas (partido do humorista Beppe Grillo e do jovem Luigi di Maio). A partir desta aliança, foi necessário indicar um primeiro-ministro que agradasse os dois lados e fez com que os partidos abrissem mão de parte de suas propostas para poderem governar. No Brasil, Bolsonaro diz que governará sem alianças com outros partidos. Talvez Salvini tenha uma boa experiência para contar para Bolsonaro sobre esse assunto.

É claro que, tanto Bolsonaro como Salvini, tem propostas e ideais muito semelhantes, apesar de problemas diferentes em seus países. Ambos são defensores dos valores da família, contrários ao aborto e a favor de controles imigratórios. Bolsonaro tem como principais preocupações o endurecimento das leis penais e a revogação do estatuto do desarmamento, Salvini tem como preocupação o controle imigratório a expulsão de imigrantes ilegais.

Redes sociais

Os dois se tornaram muito conhecidos por meio das redes sociais. No Facebook, Bolsonaro tem 8 milhões de seguidores e Salvini tem 3 milhões e 300 mil; no Twitter, Bolsonaro tem 1 milhão e 920 mil seguidores e Salvini tem 900 mil; no Instagram, Bolsonaro tem 5 milhões e 300 mil seguidores Salvini tem 840 mil.

Eles já trocaram afagos nas redes sociais em duas oportunidades: Na primeira, Salvini se solidarizou com Bolsonaro e disse: “Espero que em breve ele possa se recuperar e ser eleito presidente do Brasil”. Na segunda troca de mensagens, Salvini declarou apoio a Bolsonaro “Esquerda derrotada e novos ares!”, Bolsonaro respondeu mandando um “forte abraço” ao Vice Primeiro-Ministro italiano e publicando uma postagem na qual promete extraditar o terrorista Cesare Battisti imediatamente.

Rótulos da imprensa

Os dois políticos vivem em rota de colisão com a grande imprensa. Ambos são taxados de extremistas de direita, racistas, homofóbicos e xenófobos. O partido de Salvini sequer se declara de direita e ambos rejeitam todos estes rótulos. São taxados de nazistas pela oposição e pela imprensa mesmo ambos reconhecendo o Estado de Israel. Pelo fato de criticarem a imigração desenfreada, são taxados de xenófobos. Isso só comprova que esse comportamento da mídia, atacando os políticos de direita com adjetivos que ninguém se importa, não tem efeito eleitoral nenhum.

Politicamente incorretos

Jair Bolsonaro é muito conhecido por sua postura politicamente incorreta e por falar o que pensa. Matteo Salvini também não liga para o politicamente correto, ao negar a entrada de um navio de imigrantes, disparou “Esse barco não vai tocar solo italiano. As ONGs que levem essa carga humana para onde eles quiserem”. O político italiano costumar chamar as ONGs de “traficantes de pessoas” e não tem medo de expor suas opiniões sobre a expulsão de imigrantes ilegais.

Partidos

A Liga do Norte e o PSL não são partidos novos. Existem há algum tempo e ambos foram remodelados após a ascensão dos dois líderes. O PSL, que era um partido nanico e de aluguel, se tornou um dos maiores partidos brasileiros após sua guinada à direita, proibindo coligações com partidos de esquerda como o PT, PSOL e PC do B. Já a Liga do Norte, retirou o “do norte” de seu nome eleitoral, e de um partido regionalista se tornou um dos maiores partidos da Itália.

Economia

Na economia, Salvini tem visão eurocética, e por isso elaborou uma proposta de orçamento que eleva os gastos públicos, principalmente nos gastos com infraestrutura, desafiando orientações de controle do déficit vindas da União Europeia. No Brasil, Bolsonaro já demonstrou posição mais estatizante no passado, mas hoje guiado por seu “posto Ipiranga” Paulo Guedes, fala em zerar a dívida pública por meio de seu pacote de privatizações – um pacote semelhante também foi proposto pela coalizão de Salvini, apesar do mesmo ter visão mais estatista e avessa a algumas privatizações.

Jair Bolsonaro não é Donald Trump. Jair Bolsonaro é Matteo Salvini.

24 anos, formado em Relações Internacionais (ESPM) pós-graduado em Ciência Política (FESPSP) e mestrando em Gestão e Políticas Públicas (FGV).