fbpx
Ceará » Educação
PREFEITURA DE FORTALEZA PREJUDICA CRECHE E COMUNIDADE DO PICI DURANTE CONSTRUÇÃO DE CUCA.

Em uma demonstração clara de falta de planejamento, prefeitura de Fortaleza deixa crianças de 2 a 5 anos sem local para estudar.

19/03/2019 17h00

No ano de 2017 foi anunciada a construção de um novo Centro Urbano de Cultura, Arte, Ciência e Esporte (Cuca) na Regional III no Bairro Pici, o que deveria ser motivo de alegria para a comunidade. Porém não foi bem assim, pois, ao saber que o equipamento seria construído onde hoje funciona o Centro de Cidadania e Direitos Humanos (CCDH) e o Posto de Saúde César Cals de Oliveira a comunidade já previa o que poderia acontecer: a perda de serviços vitais para região. Em matéria para O POVO ONLINE ainda em 2017: a servidora pública Magnólia Barros, 51 anos disse: “Sem o Centro de Cidadania, acaba a creche e o posto de saúde, que são importantes. Pra gente mesmo, que é servidor, a Prefeitura não diz nada”.

Cerca de um ano após o anuncio o Prefeito Roberto Cláudio assina em, 21/11/18 a ordem de serviço de início das obras do equipamento, em apenas 1 mês a comunidade já sentiu os impactos negativos desta decisão da prefeitura. No CCDH funciona o Centro de Educação Infantil Murilo Serpa que atende mais de 270 crianças e que teve seu calendário letivo de 2018 diminuindo em virtude das obras que aconteciam no local, impossibilitando que as crianças tivessem aulas pois o ambiente apresentava riscos à saúde e segurança de alunos e servidores, afinal canteiro de obras requer pessoal especializado e equipamentos específicos para transitar nele. As crianças e os servidores terminaram o ano letivo com a promessa de que as crianças não perderiam 1 único dia de aula, pois a prefeitura iria dirigi-las a um prédio provisório.

Chegamos em 2019 e como era acreditado pela comunidade, não há prédio provisório. O ano letivo iniciou em 29 de janeiro do presente ano e as crianças então sem aulas até hoje o que, além de prejudicar o desenvolvimento e os direitos das crianças, tem tirado alguns pais de seus trabalhos por não ter onde deixar seus filhos. Na última semana os funcionários da creche receberam a  previsão de retorno das aulas no início de abril com o anúncio de que a documentação de um novo prédio já estava regularizada. A notícia, porém, foi recebida com certa descrença por parte da comunidade, pois a previsão passada era que as crianças não seriam prejudicadas de nenhuma forma.