fbpx
Educação
Professores nomeados no DF tiveram diplomas anulados pelo MEC

Dos 234 convocados, ao menos 25 estão com certificados inválidos

12/03/2019 10h36

Revisão: Kdu Sena

Ao menos 25 convocados pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para trabalharem como professores da Secretaria de Educação estão na lista de formados por faculdades alvos de investigação do Ministério Público Federal (MPF). As instituições tiveram os registros cancelados pelo Ministério da Educação. Recém-nomeados no DF, eles concluíram cursos em unidades de ensino que tiveram cerca de 80 mil diplomas anulados por fraude.

As nomeações, assinadas pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), foram publicadas na segunda-feira (11), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). Ao todo, foram chamados 234 aprovados em concursos públicos realizados entre 2014 e 2016. Todos constavam em um banco de dados e estavam à espera das convocações.

Agora, contudo, esse grupo corre o risco de não tomar posse nem entrar em exercício: o GDF afirmou que vai checar os diplomas. Se comprovado que os documentos estão entre os anulados, os envolvidos não serão efetivados.

Dois deles foram aprovados nos concursos pelo sistema de cotas para pessoas com deficiência. Os nomes integram lista de diplomas cancelados oficializada pela Associação de Ensino Superior de Nova Iguaçu, mantenedora da Universidade Iguaçu (Unig). A Unig é investigada por oferecer cursos superiores a distância sem autorização do MEC.

A Secretaria de Educação do Distrito Federal informou, por meio de nota, que “após a publicação da nomeação, os candidatos aprovados em concurso público são notificados a apresentarem a documentação exigida”.

Ainda segundo o texto enviado pela pasta, “a formalização da posse se dá em momento posterior, depois da verificação de toda documentação. O diploma do curso superior de pedagogia é um dos documentos exigidos para a posse dos pedagogos-orientadores educacionais, entre diversos outros. É exigida dos candidatos a apresentação de original e cópia autenticada do diploma”.

A Secretaria de Educação assegurou ainda que “irá cruzar as informações com a relação de cancelamentos de registros veiculada pela Associação de Ensino Superior de Nova Iguaçu e registrada em cartório. Nos casos identificados e comprovados, irá invalidar as nomeações”.

Fonte: Metróples

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.