fbpx
Sem Categoria
Má gestão em estatal pode comprometer serviço de água no DF

A investigação feita pelo TCDF revela série de erros na administração da Adasa.

13/02/2019 09h06

Revisão: Kdu Sena

O órgão estatal responsável pela distribuição de recursos hídricos do DF, Adasa, foi alvo de investigações do Tribunal de Contas do Distrito Federal. As informações obtidas a partir do trabalho do TCDF alegam que há diversas falhas na fiscalização do uso da água pelas residências. Segundo o relatório, há deficiências no controle da quantidade de água retirada dos reservatórios e dos medidores de consumo nas residências e demais estabelecimentos.

De acordo com as apurações, cerca de 30% das outorgas (aprovações para a prestação de um serviço) concedidas pela estatal estavam vencidas desde abril de 2018, sendo esses 30% correspondentes a 2.092 de um total de 7.404. Como se não bastasse, nenhuma das previstas 700 notificações de vencimento das outorgas em 2019 de fato ocorreu. Esse é o cenário ideal para aqueles que pretendem “burlar” o sistema e consumir mais do que se paga.

O consumo excessivo e descontrolado de água pode gerar uma crise no sistema de distribuição, ocasionando futuros racionamentos.

A desorganização do órgão é mais uma prova da inferioridade dos serviços públicos, que de modo geral não precisam se preocupar com a eficiência das tarefas. Isso se dá pelo fato de que, ao se tornar deficitária, o que geralmente se faz é apenas esperar subsídios da União. De pouco em pouco, a estatal se torna um peso total para o governo, logo para a população.

Apesar das competências da Adasa serem as de acompanhar, regular e fiscalizar o ciclo completo do uso da água, o órgão têm mostrado negligência em cumprir seu papel, o que acaba por quebrar um dos princípios pautados no seu código de ética: a busca pela “confiança pública, para que a Agência cumpra sua missão”. Na prática, o que está acontecendo é a perda da sua credibilidade pela população, que logo pode sofrer com falta de água diante da atual administração.

Informações: Blog do Callado