fbpx
Investigações Especiais
Inquérito aberto contra Flávio Bolsonaro por suspeita de crime eleitoral chega a PGR

A Política Federal no Rio de Janeiro remeteu o inquérito sobre Fávio Bolsonaro PGR.

06/02/2019 12h29

A Política Federal no Rio de Janeiro (PF-RJ), que investiga o senador Flávio Bolsonaro (PSL) por falsificação de documento público para eleição, remeteu o inquérito a Procuradoria-Geral da República (PGR).

O inquérito tem início na Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (PRE-RJ) e apurava suposto crime eleitoral contra o senador Flávio por declaração de imóveis incompatíveis com valor abaixo do preço real e em operações financeiras rápidas, “negociações relâmpago”.

O inquérito sustenta que a derivação de tais negociações aumentou o patrimônio líquido de Flávio e alega possível lavagem de dinheiro nas operações. A PRE-RJ encaminhou a investigação para a Polícia Federal em 2018 no afã de que fossem cumpridos os ritos investigatórios e apuração dos levantamentos incluindo, neste caso, oitiva com Flávio Bolsonaro. O prazo estipulado foi, há época, de 60 dias para cumprimento da investigação.

No mesmo documento, em novembro de 2018, a PRE-RJ salientou que o acusado tinha sido eleito senador e que a investigação deveria ser emitida a Procuradoria-Geral da República no afã de verificar a possível existência de prerrogativa de foro por função.

Cabe a Procuradoria-Geral da União emitir parecer sobre o entendimento de qual é o juiz natural da causa, Tribunal Superior Eleitoral ou Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Considerando a nova interpretação da Suprema Corte sobre a prática de supostos crimes durante, ou antes, do mandato, a expectativa dos investigadores é de retorno do inquérito a justiça do Rio de Janeiro.

A investigação em tela é de apuração das transações imobiliárias de Flávio Bolsonaro na realização de 19 operações financeiras que versam sobre compra de imóveis na zona sul do Rio de Janeiro.

Informações: Correio Braziliense.

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.