fbpx
Brasília
Ibaneis encaminha reajuste da Polícia Civil ao Ministro da Economia

Aumento de 37% será pago pelo Fundo Constitucional

27/02/2019 13h15

Revisão: Kdu Sena

O governador do Distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha (MDB), entregou nesta terça-feira (26) ao ministro da Economia, Paulo Guedes, a proposta de similaridade entre os salários das polícias Civil e Federal.

O reajuste de 37% prometido para a corporação será pago pelo Fundo Constitucional do Distrito Federal, que é abastecido pela União. Por esse motivo, para entrar em vigor o benefício precisa receber o sinal verde do governo federal.

Segundo o GDF, a proposta, agora, deverá ser encaminhada pelo Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), ao Congresso Nacional mediante medida provisória. Ela será submetida à aprovação da Câmara dos Deputados e do Senado por meio de votação.

Ibaneis informou que a recomposição dos salários não deverá sobrecarregar os cofres da União. A equipe econômica das secretarias de Fazenda e de Planejamento garantem que os custos serão “plenamente suportados” pelos recursos consignados no Fundo Constitucional do DF.

Participaram também da entrega do ofício, o secretário de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão do DF, André Clemente, e o diretor da PCDF, Robson Cândido.

O governador do DF pagará o reajuste para a Polícia Civil em seis parcelas até 2021. A ideia é que a primeira parcela já seja depositada em abril deste ano com impacto de R$ 96 milhões aos cofres públicos do DF. Podendo chegar a R$ 355,2 milhões.

O aumento de 37%, de acordo com Ibaneis, vai elevar o salário do delegado que está no último nível da carreira, para cerca de R$ 30 mil.

De acordo com o GDF, neste primeiro ano (2019), serão 10% de reajuste, no próximo ano (2020) serão 13% e no ano seguinte (2021) o restante de 14%. O governador garantiu ainda que, caso os vencimentos da PF sejam reajustados nos próximos três anos, uma nova proposta para paridade será estudada.

Fonte: G1

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.