fbpx
Segurança Pública
Força Nacional vai reforçar segurança em presídio federal do DF

Moro autoriza Força Nacional a reforçar segurança do presídio por 90 dias

15/02/2019 15h18

Revisão: Kdu Sena

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou a Força Nacional a reforçar a segurança nos arredores da Penitenciária Federal de Brasília por 90 dias. A medida foi publicada nesta quarta-feira (13/02) no Diário Oficial da União.

A decisão foi anunciada poucas horas após o desembarque dos integrantes da facção criminosa PCC, transferidos de São Paulo para o presídio federal. Parte do grupo composto por 22 integrantes, entre eles Marcos Camacho, o Marcola, será levado para às penitenciárias de Mossoró (RN) e Porto Velho (RO).

A transferência de integrantes do PCC ocorre após o governo de São Paulo ter descoberto um plano de fuga para os chefes e ameaças de morte ao promotor que combate a facção no interior de São Paulo. A facção atua dentro e fora dos presídios brasileiros e internacionalmente.

Na Portaria 157/2019, consta que a Força Nacional dará apoio às equipes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) que já atuam no presídio. O emprego da força será feito “em caráter episódio e planejado”, e terá apoio logístico do Depen.

A infraestrutura para as tropas e o contingente necessário para a operação serão definidos em conjunto pelos dois órgãos. A portaria já prevê que, se necessário, o apoio da Força Nacional pode ser prorrogado por tempo indeterminado

Caso a renovação não seja solicitada pelo órgão apoiado, tempestivamente, o efetivo será retirado imediatamente após o vencimento desta Portaria”, diz o texto.

Na primeira publicação no Diário Oficial desta quarta, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou o decreto autorizando a presença das Forças Armadas em um raio de 10 quilômetros dos presídios de Porto Velho (RO) e Mossoró (RN).

A transferência do grupo ocorreu no mesmo dia.

Nesta quarta-feira (13/02), o governo federal publicou a Portaria 157/2019 com regras mais rigorosas para visitas de presos em presídios federais de segurança máxima.

Fonte: G1

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.