fbpx
Brasília
Exército aliado da Educação e contra a dengue

O assunto foi tratado por Ibaneis e o
comandante do Comando Militar do Planalto (CMP), general Sérgio da Costa Negraes.

27/03/2019 18h03

Revisão: Kdu Sena

Foi proposto pelo Palácio do Buriti, segunda-feira (25), assinatura de um
convênio para convencer militares da reserva do Exército a atuarem em duas frentes no Distrito Federal: no combate à dengue e em escolas públicas. O assunto é novo do governo de Ibaneis Rocha. 

O encontro acelerou a intenção de buscar meios menos burocráticos para que o projeto de militarização das escolas possa ser ampliado.

A estimativa é que entre 800 e 1 mil militares inativos sejam recrutados para prestação de serviços nas 40 escolas consideradas, pela Secretaria de Educação, como as “mais problemáticas”. 

Em princípio, o único impasse é que, por estarem na reserva, os oficiais
recrutados do Exército não têm a porte de armas, o que os impediria de atuar na segurança preventiva. Ainda assim, de acordo com o CMP, houve interesse do governo de aproveitar a experiência dos inativos.

Fonte: Metrópoles.

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.