fbpx
Brasília
“#Dia30vaisermaior”: o que aconteceu no episódio da Esquerda contra cortes

Durante ato, uma pessoa foi presa

04/06/2019 16h19

Reportagem: Jonas Fernandes

Revisão: Kdu Sena

Na quinta-feira (30), manifestantes se reuniram novamente para rechaçar o contingenciamento de gastos universitários. O ato foi primordialmente organizado pela UNE (União Nacional dos Estudantes), pela UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas), pelo movimento Juntos pela Educação e pela Associação dos Acadêmicos Indígenas da UnB.

De acordo com os apoiadores da “democracia” venezuelana UNE, o ato contou com 30 mil militantes, já a Polícia Militar revelou o número de 1,5 mil. Ela teve de solicitar a alguns “estudantes” que retirassem os panos do rosto para manifestar. O grupo iniciou sua caminhada no Museu Nacional e deram uma volta na Esplanada, assim 3 faixas do Eixo monumental foram bloqueadas; o ato começou pelas 10h e terminou pouco antes das 14h.

Houve confusões. A primeira foi durante a caminhada para o Congresso, na qual militantes entraram em conflito com a Polícia, que teve de usar spray de pimenta e prender um dos revoltosos, ele foi encaminhado à 5° Delegacia de Polícia da Asa Norte. Uma mulher passou mal e teve de ser atendida pelo corpo de Bombeiros. Entre os cartazes, estavam referências a Marielle Franco, ataques ao Governo e o clássico “Lula Livre”; no entanto, chamam atenção os cartazes que pedem mais investimento na educação e que tal pasta seja prioritária no orçamento. Na atual conjuntura, o maior “devorador” de recursos públicos do País é a Previdência, assunto pelo qual o MBL luta constantemente.

Fonte: G1 e Correio Braziliense