fbpx
Sem categoria
Com temor de Brumadinho, Ibaneis e Crea pedem à CEB laudo sobre condições da barragem do Paranoá

Governador afasta risco na estrutura e acalma: “é melhor prevenir”.

29/01/2019 08h28

Após o desastre de Brumadinho (MG) ocorrido na última sexta-feira (25), que deixou um caminho rastro, destruição, mortos e famílias desabrigadas, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), com receio determinou a elaboração de um laudo sobre as condições estruturais da barragem do Paranoá. Entretanto, as condições nas estruturas preocupam o Conselho Regional de Engenheiros e Agronomia (Crea-DF) desde dezembro do ano passado, o conselho solicitou à Companhia de Energética de Brasília (CEB) informações sobre a estrutura, manutenção e segurança do local. Após isso, dez dias depois foi criada uma comissão para averiguar as condições reais da barragem.

O chefe do Executivo declarou que no asfalto da pista acima da represa há fissuras e, para garantir que não haja problemas mais graves, solicitou à CEB e ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) uma avaliação. Declarou ao portal Metrópoles: “É melhor prevenir. Há informações de que não existem problemas estruturais, mas vão trazer para mim o laudo para vermos quais providências deverão ser tomadas”. A previsão do gestor é que o documento fique pronto até terça-feira (dia 29). Izidio Santos, secretário de Obras e Infraestruturas do DF, também solicitou à CEB, um relatório sobre as condições da construção.

O Crea-DF informa que ainda não recebeu informações da apuração da comissão sobre a situação. Mas declara que a comissão se reunirá na terça-feira (dia 29) para discutir o assunto. Um dos assuntos é o relato de um geólogo que acompanhou a vistoria na barragem sobre um suposto vazamento no local, em 1991. Segundo o profissional, a análise naquela época já revelava uma “situação estarrecedora”. Por isso, o Crea-DF pediu informações sobre “quais medidas preventivas foram ou têm sido adotadas para prevenir eventuais danos ao patrimônio público e à sociedade do Distrito Federal”.

A CEB confirmou o recebimento do pedido de informações do Conselho e prometeu enviar as respostas até esta terça-feira (dia 29). “O Crea-DF não fixou prazo para a resposta e nesse período ocorreu a transição de governo. Sobre a solicitação do governador, informamos que o relatório será entregue amanhã, conforme solicitado, e, segundo o levantamento que foi feito sobre a barragem, as informações são tranquilizadoras”, declarou a empresa.

Em fevereiro de 2018, o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) emitiu um alerta de que a barragem poderia desabar a qualquer momento em função do fluxo de veículos. Segundo o sindicato, a estrutura não foi feita para suportar o peso dos carros e caminhões que transitam diariamente no local. Na época, o Governo do Distrito Federal – governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) – negou essa possibilidade e afirmou que o local é monitorado pela CEB Geração que teria classificado o empreendimento como “normal”, sem problemas estruturais.

O monitoramento e estudo dos níveis e vazões remanescentes é de competência da Agência Reguladora de Águas (Adasa), Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e CEB. O acompanhamento é feito com base nas informações da estação telemétrica da agência e na leitura dos níveis registrados na barragem. A cota máxima estabelecida para o lago será de 1000,3 metros. Até o final do período chuvoso do segundo semestre, o grupo analisará o comportamento do lago para definir novas medidas a serem tomadas.

O presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Legislativa, Eduardo Pedrosa (PTC), visitou nesta segunda-feira (dia 28) as estruturas da barragem do Descoberto. O deputado distrital conversou com o responsável pelo local, Edilson Lima. “É uma barragem muito antiga e que está sendo monitorada em alguns pontos específicos, mas nada grave. Existe a ideia de reestruturar e reforçar o local”, afirmou o deputado. Informou, também, que ingressará com um pedido de informações a Caesb para que o órgão esclareça o que tem sido feito para evitar desastres como o ocorrido em Brumadinho (MG). Ele pretende visitar a barragem do Paranoá nesta terça-feira (dia 29).

Tais proposituras deveriam ser corriqueiras. É uma pena que derivem de uma tragédia em decorrência de negligência clara em relação a Brumadinho. Não se pode continuar com a “administração por espasmos”. É necessário ter a responsabilidade para que tragédias não ocorram aqui. Ressalva efetivada, e fazendo justiça a ação governamental, avalia-se positiva a preocupação e ação do Governo Distrital.

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.