fbpx
Brasília
CLDF quer cortar comissionados de Junta Comercial

Emenda pode gera economia de R$ 224 mil ao tesouro distrital.

14/05/2019 15h54

Reportagem: Jonas Fernandes
Revisão: Kdu Sena

O deputado distrital Rodrigo Delmasso (PRB) apresentou emenda ao texto enviado pelo Buriti acerca da Junta Comercial do DF, que sugere redução em 71% do número de cargos comissionados. Dessa forma, enquanto o texto propunha 94, a emenda diminuirá para 27 (incluindo o posto de diretor-geral), gerando uma economia, conforme o parlamentar, de R$ 224 mil aos cofres públicos. O distrital também sugeriu que os funcionários sejam concursados devido à importância da pasta.

Caso mantenha o texto original, o impacto gerado seria de aproximadamente R$ 5,2 milhões apenas em 2019, visto que o órgão custaria R$ 434.194,88 por mês. Os salários dos servidores ficariam em torno de R$ 2,5 mil a R$ 13 mil, dependendo da posição hierárquica.
Parlamentares como Marcel van Hattem (NOVO), Paula Belmonte (Cidadania) e Bia Kicis (PSL) são favoráveis à emenda e já haviam criticado a proposta do GDF. “Essa é uma oportunidade para o Distrito Federal não transformar esse órgão público em cabide de emprego e fazer com que, de fato, o empreendedor que gera emprego e renda ao cidadão seja bem-atendido e respeitado”, alertou o deputado federal van Hattem.

De acordo com a Secretária da Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, a pasta é autossustentável e não gera grandes despesas para o tesouro distrital. Ela também afirmou que o valor das receitas “é suficiente para cobrir as despesas para o mesmo período, de forma que as metas de resultados fiscais previstas na LDO 2019 (Lei no 6.216, de 17 de agosto de 2018) não serão impactadas negativamente”.

Fonte: Metrópoles.

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.