fbpx
Brasília
Caminhões estão proibidos de trafegar sobre a barragem do Paranoá

Velocidade no trecho também diminui de 60 km/h para 40 km/h

01/03/2019 16h12

Revisão: Kdu Sena

A partir desta sexta-feira (1º), caminhões com mais de dois eixos simples não poderão mais trafegar sobre a Barragem do Paranoá, no Distrito Federal. Desde o início da semana, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) vem fazendo uma campanha educativa sobre a proibição no local.

Desde o rompimento da barragem da mineradora da Vale, em Brumadinho (MG), no dia 25 de janeiro, várias regiões do país aumentaram a fiscalização nas barragens.

A proibição do tráfego de caminhões partiu de um acordo entre o DER, a Defesa Civil e a Companhia de Energia de Brasília (CEB), responsável pela barragem. De acordo com o DER, não há nenhum laudo que aponte para a proibição, mas ela foi feita como forma de precaução e tem o objetivo de manter o peso médio dos veículos que passam pelo lugar.

Em 14 de fevereiro, a Defesa Civil do Distrito Federal começou a visitar as famílias que moram nas imediações da Barragem do Lago Paranoá. Os encontros serviram para orientar os moradores sobre as medidas a serem tomadas em casos de emergência.

A barragem é classificada pela Agência Nacional de Águas (ANA) como de baixo risco, mas com alto dano potencial associado. Isso significa que a estrutura é segura mas, se algo acontecer, o prejuízo ao meio ambiente e à sociedade poderá ser grande.

Segundo a CEB e o DER, a Barragem do Paranoá tem características completamente distintas das construções de Brumadinho e Mariana, e não corre risco semelhante. A companhia elétrica diz que um laudo divulgado em 29 de janeiro descartou risco grave na estrutura.

A restrição do tráfego de caminhões começa uma semana depois da conclusão das obras de recapeamento da ponte sobre a barragem. Durante a semana, a equipe finalizou as pinturas das faixas horizontais na pista.

Para alertar sobre a proibição, o DER realizou uma campanha educativa na DF 001 e na DF 003. O trabalho também serviu para explicar aos demais motoristas sobre a redução de velocidade no trecho que passa de até 60 km/h para 40 km/h para toda extensão do tráfego sobre a barragem

A proibição só restringe a passagem dos caminhões que excedam dois eixos simples, conforme informou o DER. Quem descumprir a regra estará sujeito a pagar multa de R$ 130,16 e levar quatro pontos na CNH.

Fonte: G1

Administrador, Jornalista, Professor e Pesquisador. Graduado em Administração e Comércio Exterior. Pós-graduado em Direito, Docência e Gestão Pública. Mestre em Economia pela UnB.