fbpx
Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL - Movimento Brasil Livre.
Só babacas patrulham o humor de Danilo Gentili

Chegaram a sugerir que Gentili “atrapalha” as relações do SBT com o governo…

17/07/2019 15h51

Impressiona o impacto das redes sociais no debate público. Certos comportamentos deploráveis — que mesmo sob a égide do petismo demoraram anos para proliferar — ganham corpo em velocidade assustadora, impulsionados pelas ferramentas virtuais de um mundo hiperconectado.

A onda agora é a neo-patrulha sobre o humor — tudo aquilo que criticávamos nos tempos de PT! — espraiando sobre terrenos outrora inexplorados.

A sátira política, prato principal do humor politicamente incorreto, tornou-se alvo das milícias virtuais ligadas ao governo federal nos últimos dias. A carga é direcionada ao humorista e apresentador Danilo Gentili, principal nome ligado ao campo da direita na grande mídia.

Danilo cometeu a heresia de criticar a nomeação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada brasileira nos EUA; além de demonstrar sua insatisfação no twitter, fez piada do ocorrido em seu programa. A senha foi dada: hora da militância para-estatal organizar ataques contra Danilo!

Como era esperado, houve o mesmo padrão de sempre. Políticos eleitos na esteira do bolsonarismo, assessores parlamentares de twitter, incautos “ucranizadores”(risos) e robôs — muitos robôs — passaram a atazanar o apresentador do The Noite:

A patrulha dividiu sua atuação em duas frentes. Um grupo dizia que as piadas de Danilo “perderam a graça”, que o humorista se tornou “isentão”; outro, mais politizado, sugeria sua demissão do SBT. A coisa se tornou tão bizarra que um membro de um site governista cometeu esse tuíte no auge da crise:

Tem que ser muito babaca pra publicar uma merda dessas.

A postura adotada assusta, posto que é organizada por uma rede de influenciadores diretamente ligados ao projeto de poder bolsonarista. O rapaz do print acima sugere que a crítica de Danilo é um problema para a — prestem atenção!! — CAPTAÇÃO DE RECURSOS DO GOVERNO COM BASE EM PROPAGANDA ESTATAL por parte do SBT.Como é que aceitamos uma merda dessas?

Chega a ser ridículo ter que explicar a função política do humor no legado cultural que recebemos de nossos antepassados. É parte fundamental da tão falada “civilização ocidental” — cultivada em discursos, abandonada na prática — , a menina dos olhos da direita templária de internet.

Existe um pouco de Cátulo, de Juvenal, de Stanislaw Ponte Preta, de Gregório de Matos, de Charles Chaplin na piada de Gentili. Existe legado civilizacional no trabalho satírico não apenas dele, mas do Kibe Loco, do Gregório Duvivier, do Maurício Meirelles, do Rafinha Bastos, do canal Hipócritas, da Cris Bernart, do Porta dos Fundos, em suma, de todo mundo que faz do poder algo ridículo … pois todo poder que se preza é essencialmente ridículo!

Conheço pessoalmente algumas das figuras que tentam patrulhar Gentili nas redes sociais. É gente ressentida, péssima companhia para uma cerveja. Babacas de quatro costados, cagadores de regra sobre a vida alheia, enxergam num projeto político — portanto no coletivo — a redenção para sua individualidade frágil e sem graça.

O humor expõe o ridículo de suas pretensões, a tolice de sua urgência; muito por isso, deve ser patrulhado, combatido e calado. Essa é a lógica perversa do militante fanático de hoje, que bem poderia ser o “mortadeleiro” de 5 anos atrás.

Ao fim, defender o papel civilizacional do humor, em tempos de patrulha, é dever de todos no debate público. Ainda mais daqueles que prezam por outro valor ocidental já relegado ao segundo plano nos últimos anos: a própria ideia de democracia.