fbpx
Escritor de meia dúzia de artigos, comentarista eventual do MBLNews.
Projeto “Escola Sem Partido” é protocolado em São Caetano do Sul

O vereador César Oliva (PR) apresentou o projeto na câmara municipal em parceria com o MBL SCS

15/02/2019 13h14

O vereador César Oliva (PR) apresentou o projeto na câmara municipal em parceria com o MBL SCS

Nesta quinta-feira (14), o vereador republicano César Oliva protocolou o projeto “Escola Sem Partido” na câmara de vereadores de São Caetano do Sul. A iniciativa foi realizada em parceria com o Movimento Brasil Livre – MBL de São Caetano do Sul, que tem o projeto como um de suas bandeiras de atuação.

O vereador comentou a iniciativa ao MBLNEWS grande ABC:

“Entendo que no ambiente escolar de ensino, precisamos lutar principalmente pela neutralidade política, de modo que o conteúdo didático seja sempre transmitido aos alunos sem nenhum cunho ideológico, de direcionamento político ou partidário, e nos momentos de expor situações históricas politico sociais, ou culturais e econômicas, que se apresentem os conteúdos sempre com todas as teorias e pensamentos sem nenhum tipo de preferência ou canalização dos alunos para determinada ideologia em detrimento de outras, permitindo assim que cada indivíduo, ao absorver os conteúdos, tenha a liberdade de se posicionar frente aos mais diversos assuntos de forma natural, e aqui, independentemente de posicionamentos pessoais ideológicos de cada um”.

Cesar ressalta que “a ideia é proteger a pluralidade individual, seja de esquerda, de direita ou de centro, desde que escolhidas de forma livre por cada indivíduo”.

Segundo o coordenador do MBL são caetanense, Pedro Umbelino, “trata-se de medida importantíssima para a proteção dos alunos e de seus responsáveis contra qualquer tipo de forma de doutrinação ideológica dentro do ambiente escolar, que contrarie a boa prática da educação”.

Complementa que “o projeto não tem a finalidade de prejudicar a autonomia do professor, pois não interfere no conteúdo ministrado, mas simplesmente informar os alunos de seus direitos assegurados em lei, quando identificarem algum tipo de militância política, configurando um abuso contra as liberdades de opiniões políticas, religiosas, crenças, etc.”

O projeto prevê a fixação de cartaz em local visível com os deveres do professor, que apenas reproduzem a interpretação da lei.

O projeto será lido em sessão legislativa e encaminhado para análise nas comissões e votação em plenário.

O projeto criado por Miguel Nagib mantém o site http://escolasempartido.org/deveres-do-professor em que é possível acessar informações completas, explicações, artigos, matérias sobre doutrinação, etc.

Veja o cartaz: