fbpx
Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL - Movimento Brasil Livre.
O Caminho de Ciro

Ele quer o eleitorado da ‘direita’. E sim, o plano faz sentido.

29/05/2019 16h11

Ciro Gomes viralizou mais uma vez. Na direita. Repito aqui: Ciro Gomes viralizou pela terceira vez num público não afeito ao petismo e seu panteão de anjos caídos. E isso diz muito sobre a estratégia do nobre cearense.

Ciro sabe que o anti-petismo é a grande força política do país; é fenômeno consistente, de classe média, capaz de carregar insossos Alckmins, Serras e Aécios ao segundo turno em tempos de Lula e Dilma. É fenômeno que, devidamente instrumentalizado, levou Bolsonaro ao palácio do planalto. E é fenômeno sem hora pra acabar.

Enquanto Lula administra seu partido da cadeia, Ciro acena para uma massa amorfa de eleitores que repudiam a legenda vermelha mas que vivem aquém da dicotomia esquerda-direita. Pinta como nome sério, sistema e anti-sistema ao mesmo tempo, denuncista e boquirroto como o presidente da república.

A tática é especialmente diabólica: enquanto acena para o eleitorado do outro campo, o cearense estrangula seu adversário mais próximo aliando -se ao PCdoB e até ao PSOL quando necessário. Seu PDT não se pretende hegemonista; é na condução de uma esquerda mais… digamos… democrática — ao menos em seu debate interno — que pretende afastar aliados progressistas do dragão agonizante de São Bernardo.

Não nos interessa aqui o teor da “lacrada” do trabalhista em Maria do Rosário. Ciro bate em zumbi que insiste em se arrastar. Cabe, no entanto, acompanhar com cuidado seus movimentos políticos rumo ao centro político e o anti-petismo. Com Tábata e Mauro Benevides debaixo do braço, o coronel pode dar um passa-moleque em mais gente do que Lula e seus capachos…

Confira o vídeo que fiz a respeito: