fbpx
Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL - Movimento Brasil Livre.
Nova política: Com fundo de meio BILHÃO, PSL pode se tornar o rei da boquinha partidária

A ‘nova política’ é tão velha quanto sua suposta antítese, com o demérito de ser mais cafona.

22/07/2019 16h27

Meio Bilhão de reais. Cerca de R$480 milhões. Esse é o valor que o PSL — partido de Luciano Bivar — poderá contar para as próximas eleições caso o ‘fundão’ proposto por Rodrigo Maia seja aprovado ainda este ano.

O fundo, por si só, é de uma ousadia ímpar. Propõe coisa de R$3,7 bilhões para eleições municipais — que em 2018 foi de R$1,7bi –, distribuídos proporcionalmente entre as maiores bancadas da Câmara de Deputados.

Isso significa, caros amigos, que o PT — segunda maior bancada da casa — terá coisa próxima ao meio bilhão de reais dos patriotas de plantão. E essa é a grande novidade da brincadeira: na hora da farra com nosso dinheiro, “petralhas” e “fascistas” se abraçam carinhosamente.

Alguns poderão indagar: ‘ah, mas isso deve ser coisa do Centrão‘. Sim, amigos, também é coisa do centrão. De centrão, do frentão, do esquerdão e do direitão. É hora de ‘construir consensos‘, de soar ‘bom de política‘. É nessas horas que Joice Hasselmann e Alexandre Frota soam…razoáveis. Estão ‘jogando o jogo’. Esse jogo. O jogo que importa.

O silêncio dos patriotas mais extremados também preocupa. Os críticos de Rodrigo Maia — que usavam suas redes para clamar pelo enfrentamento ao congresso e saíam às ruas para atacar as instituições — estão convenientemente calados. Faz sentido. As eleições estão aí. Já perguntaram para a bancada ‘Deus Vult’ se votarão contra a medida?

Meu amigo Kim Kataguiri propôs emenda proibindo o aumento do fundo. Terá uma derrota fragorosa. Kim e o pessoal do partido NOVO — justamente a turma que deu aula de coerência na reforma da previdência — serão voto vencido nessas horas. Quando a grana entra e o privilégio canta, meu amigo, aí a ‘nova política’ sai das redes e vai parar nos encontros fechados. Não existe meme nem hino que resolva.

O PSL deu um show de amadorismo na hora de … ‘manejar‘ os recursos do fundo eleitoral de 2018. Sendo bacana, dá pra falar que a engenharia de candidaturas fake e gráficas inexistentes foi um tanto quanto mambembe, restando escândalos e fortes suspeitas em diversos estados da federação. Embananaram-se com R$17,5 milhões — dinheiro de pinga para o status atual dos neo-patriotas. Estou curioso pra saber o que farão com montante vinte vezes maior.

Este é mais um capítulo no grande acerto de contas com a realidade que os alpinistas da direita vem passando. É voto com corporação, é escândalo de corrupção, é gabinete absolutamente lotado, é cargo no governo pra votar previdência, é estatização de manifestações… A ‘nova política’ é tão velha quanto sua suposta antítese, com o demérito de ser mais cafona.

Ao eleitor, cabe o consolo da atitude coerente de deputados como Kim Kataguiri e a galera do partido Novo.

E a conta pra pagar.