fbpx
Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL - Movimento Brasil Livre.
FLÁVIO BOLSONARO INIMIGO DA LAVA-TOGA. Quer mais provas do ACORDÃO?

Até quando vamos tapar o sol com a peneira?

09/09/2019 18h19

Amigos, sei que é um saco falar destas coisas. É incômodo. Dá náuseas, desconforto moral e descrença na política. Como pode a família Bolsonaro lutar contra a lava-jato? Fazer acordo com o Toffoli. Nomear procurador petista? O que aconteceu com o discurso de campanha?

Mas temos que falar. Conforme demonstra matéria do Antagonista, o Senador (e protégée do STF) Flávio Bolsonaro, passou as últimas horas fazendo campanha aberta contra a CPI da Lava Toga — tema muito caro para aqueles que buscam combater os desmandos e o perfil… leniente… do STF.

Se não acredita, nem perca tempo questionando: o presidente de seu partido, Luciano Bivar, confirmou que a legenda não apoia a CPI, fazendo um comovente discurso institucional que em nada combina com a retórica jacobina de seus candidatos eleitos.

“O Flávio é o líder do partido [o líder, na verdade, é Major Olímpio]. Quando ele pede, está respaldado em cima do partido, com certeza.”

Achou pouco?

“Não existe acordão, existe o justo, o correto. Não existe nenhuma coligação. O que a gente quer é a governabilidade. Não adianta você ir contra os outros Poderes. O PSL não tem esse sentimento”

Risos

Esse é apenas mais um capítulo do grande acordo entre Jair Bolsonaro e o STF. Vão-se os anéis, ficam os dedos. Confira a lista de manobras orquestradas pelo governo Bolsonaro e seus novos amigos para solapar o combate à corrupção:

  • Despacho de Toffoli salvando Flávio e outros investigados na Lava Jato
  • Apoio de Bolsonaro a candidato “terrivelmente evangélico” ( e amigo de Toffoli) à vaga no STF no lugar de Moro
  • Demissão de Roberto Leonel no COAF
  • Fim do COAF; órgão vai parar no Bacen e pode ser aparelhado
  • Intervenção na PF
  • Intervenção na Receita Federal
  • Combate à CPI da Lava Toga
  • Veto a PL que impede ativismo judicial do STF
  • Nomeação de Augusto Aras — ligado a Toffoli — para Procurador Geral de Justiça
  • Participação do PSL no acordo para votação simbólica do abuso de autoridade
  • Entrevista de ministro de Bolsonaro confirmando acordo
  • Abandono do “pacote anti-crime” do Ministro Sérgio Moro.

E aí, amigos? Todos os fatos são públicos e notórios — estão na imprensa e nos diários oficiais. Até quando vamos tapar o sol com a peneira?