Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL - Movimento Brasil Livre.
Dá pra ser de direita e repudiar Flávio Bolsonaro

Sua live no Youtube, culpando de Witzel ao Ministério Público, foi motivo de chacota

19/12/2019 17h54

Não somos petistas de sinal trocado. É a impressão que sinto ao visitar páginas diversas da direita independente quando abordam o caso Flávio Bolsonaro. O público, crítico, percebe que há algo de errado; entende que não é possível passar pano para escândalo que envolve, muito provavelmente, quase dez milhões de reais.

Confesso, porém, que não imaginava tamanho grau de maturidade. Houve uma campanha fortíssima por parte do bolsonarismo para vincular a ideia de direita — portanto sua identidade — com a figura de Jair e seus filhos. Um brasileiro, patriota, cioso de seus direitos, deveria alinhar-se automaticamente ao capitão. Caso contrário, seria um “comunista”, um “isentão”, um “traidor da pátria”.

Não foi por falta de tentativa. O “filósofo” Olavo de Carvalho propôs militância canina, fiel ao presidente — e não a ideias — como resposta à desmobilização do segundo semestre. Redes e perfis ligados ao bolsonarismo atacavam o MBL, Partido Novo, Janaína Paschoal, Danilo Gentili e Antagonista. Todos — absolutamente todos! — eram “traidores da pátria”. Era forçar a barra. O povo percebeu a mentira.

O escândalo envolvendo Flávio Bolsonaro — cujas provas apresentadas não deixam margem para muitas dúvidas — serviu de teste de fogo: a direita brasileira, caso aceitasse a farra, teria seu destino selado como petismo de sinal trocado. E diante do teste, e excluindo-se o gado, passou com louvor.

Não há militância mobilizada em seu favor. Sua live no Youtube, culpando de Witzel ao Ministério Público, foi motivo de chacota. A desculpa de que as acusações existem como forma de “derrubar o governo Bolsonaro” tampouco soou crível. Flávio está em maus lençóis e a direita brasileira respira mais uma vez.

Após um ano de tantas brigas e vexames, é um alento…