Acadêmico de economia e editor do MBL News.
Coronavírus nunca baixou o Tinder?

Não consigo terminar aquele paper sobre o vírus.

17/03/2020 16h00

Ontem, pela 5ª vez, abri aquele PDF de um texto no medium sobre coronavírus, fechei depois de 5 páginas. Novamente. Estou fugindo.

Ainda não entendi (ou finjo que não entendi) a dinâmica do vírus (não li o paper), mas sei que, em resumo, ele é um cara chato.

Dá pra notar o que se apresenta. Ontem já não estava trânsito na volta pra casa, sinto que o metrô (que já não pego mais) estava menos cheio.

O isolamento vem a galope. Tentei escapar dele comprando um videogame novo. Gosto de futebol e adoro FIFA, mas não se compara com aquela risada longa e gostosa que o date do Tinder dá quando você acerta na piada.

Comprei alguns livros de economia também, mas a faculdade que jurei terminar o semestre já suspendeu as aulas. Estava muito divertido quando aquele time do Diniz acertava a troca de passes e conseguia sair da marcação sob pressão que o adversário fazia na saída de bola. Pena os jogos foram adiados.

Também não tem show. Nem cinema.

Meu pai tem diabete, então fujo dos textos que avisam que… bom, deixa. Já basta um Guga Chacra.

Escrevo para o político que trabalho dizendo que sairemos dessa. Mas sairemos? Com que custo? Serão 5 meses sem entregar o RG na portaria daquele motel perto do Mackenzie que gosto?

Chega vou tentar ler o paper. Mesmo que ele fale sobre diabete. Se alguém ver o vírus por aí, peçam que ele baixe o Tinder.