fbpx
Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL - Movimento Brasil Livre.
Anatomia da desonestidade: a ‘youtuber de direita’ cria fake news para me atacar. Como funciona?

Graças ao bom trabalho de Camila, meu artigo converteu-se de curioso texto de conjuntura em profecia auto-realizável.

04/07/2019 17h34

Caros amigos, ontem escrevi um adorável texto sobre a ascensão de uma estranha direita — histérica e digamos “esperta demais” — que se alimenta da descrença política das pessoas para vender seus Artigos 142 , camisetas opressoras e badulaques patrióticos.

O texto, aparentemente, foi lido pela comunada do DCM – Diário do Centro do Mundo, que produziu uma matéria clickbait onde transcrevem um trecho do meu texto. Link aqui. Tirei um print pra que você não precise nem dar acesso ao site dos caras. Veja com seus próprios olhos que eles citam inclusive a FONTE da minha declaração:

Olha ali, em VERMELHO. Os caras colocam o link!

Pois bem. Por quê trago isto? Eis que descubro, na tarde desta quinta-feira, que a funcionária de deputado do PSL e patriota profissional Camila Abdo — também ‘youtuber de direita’ ! — cometeu esse tweet sobre a matéria do DCM:

Dureza. É difícil até começar. A patriota oficial realmente disse que fui entrevistado pelo DCM, corretamente qualificado como “lixo esquerdista”, e começa a tecer conjecturas num português confuso sobre a relação entre o MBL e meu amigo Arthur do Val.

Aparentemente, ela tenta criar a tese de que o movimento usou o Arthur para aparecer e ficar grande — desconhecendo o básico de história recente do país — , e que agora, após “chegar onde queria”, pode “descartá-lo” com uma “facada nas costas”.

Amigos… é triste. Triste pois Camila Abdo nem ao menos leu a matéria que compartilhou. Não teve o cuidado de ver que o DCM fez uma transcrição e citou a fonte do meu texto, inclusive marcando o link. Mais: por não ler meu texto — link aqui — a ‘opressora’ falou merda sobre o conteúdo lá contido, e terminou por confirmar, com requintes de crueldade, a tese que expus.

Sei que Camila não leu nem lerá meu texto. Respondo, a bem da verdade, pelo exercício da autópsia, em que exumamos o defunto recém coletado para compreender a causa de sua morte.

Num debate político putrefato, a existência de figuras histéricas, oportunistas e mentirosas é sintoma de um fenômeno que descrevo no texto. O “fim de Arthur, Nando Moura e Raphael Hide” , pioneiros no debate político no youtube, é meramente retórico; exagero na declaração para demonstrar o absurdo em que fomos colocados: nomes já consagrados competindo por espaço com uma geração nova de influenciadores agressivos e descompromissados com a verdade, que ascende, em tom quase patético, pregando o fechamento do congresso e adesão absoluta ao governo federal.

Ao produzir esse tweet tosco e desonesto, Camila apenas confirma aquilo que abordei no artigo:

Onda após onda, como invasões bárbaras, novos palpiteiros surgem, com qualidade decrescente e ansiedade galopante. Alimentam-se do desespero de uma classe média à procura de amparo, debatendo-se entre narrativas de whatsapp e memes simplificadores.

e

Os novos ingressantes surgem, canibalizam o espaço dos “traidores” e “infiéis” e encontram seu lugar ao sol. No processo de aceleração, onde some a qualidade e aumenta a quantidade, outros ingressantes surgem em velocidade ainda mais rápida, predando os antigos predadores. Já existem cisões dentro da direita bolsonarista “de rua”: os “Lobos Patriotas“, por exemplo, não se dão com setores dos “Youtubers de Direita

Pois bem, amigos. Graças ao bom trabalho de Camila, meu artigo converteu-se de curioso texto de conjuntura em profecia auto-realizável. Agradeço demais, amiga patriota! Num momento em que Fake News virou commodity, uma pílula de agressão como a sua — recheada de uma poética toda especial — é pérola a ser apreciada.