Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL - Movimento Brasil Livre.
A pirralha ataca novamente

Bolsonaro, neste caso, foi mais sensato do que grande parte dos seus críticos

10/12/2019 14h17

Greta Thunberg está muito preocupada. Ela sempre está. Desta vez, o alvo de seu olhar punidor é a questão indígena brasileira. Não sei como se informou sobre o assunto — tampouco, como construiu sua posição sobre tema tão árido. Como reles mortais, nunca compreenderemos.

Do alto de seus 16 anos, Greta sabe muito de tudo; das calotas polares aos micos-leões dourados, a sueca está pronta — sempre — para vaticinar alguma máxima. Não à toa, recebe status de Joana D’Arc da pós-modernidade: jovens erguem estandartes com seu rosto em manifestações celebradas (e insufladas) por uma imprensa indulgente. 

Estudantes alemães armam seu estranho e macabro culto à Greta Thunberg. Duesseldorf, Germany, March 15, 2019. REUTERS/Wolfgang Rattay TPX IMAGES OF THE DAY

Sempre disposto a chutar canelas, Bolsonaro respondeu Greta. Chamou-a de pirralha — uma das poucas vezes em que acertou em sua verborragia. Imagina, homem comum que é, que Greta, aos 16 — e nascida na Suécia — não tem condições de opinar seriamente sobre índios brasileiros. E está certo. Quantos brasileiros também não estão aptos para a tarefa?

Greta respondeu como fizera com Trump: assumiu o xingamento em sua timeline do twitter. Festa nas redações. A pirralha humilhou o fascista! Lacrou! Bolsonaro tomou uma lição de uma menina de 16 anos! Todos comentam a contenda, mas ninguém questiona a emenda: por que diabos essa menina é tão levada a sério?

Chega a ser engraçado; a mesma imprensa que tece loas para sua laicidade — e denuncia o obscurantismo místico de olavetes — não vê problemas na onisciência de uma menina de 16 anos. Acreditar que Greta é proficiente em temas tão complexos, apta para ser ouvida em Fóruns internacionais como se especialista fosse, é nada além de exercício de fé. Fé cega, burra e militante. 

Greta é só uma pirralha criada pela imprensa. Um estandarte de uma causa em nome de um projeto eleitoral. Bolsonaro, neste caso, foi mais sensato do que grande parte dos seus críticos.