Acadêmica de Direito. Curiosa, inquieta, eclética.
A imprensa e o governo Bolsonaro: jornalismo no Brasil não é pra gente de “geleia”

Ainda que este seja um tema discutido com frequência no meio político do país, é necessária uma análise mais aprofundada das motivações e consequências desse comportamento torpe vindo do chefe maior da nossa nação.

28/02/2020 19h04

É fato incontestável que os ataques de Bolsonaro à imprensa são frequentes e preocupantes. Iniciados ainda durante sua campanha, os ataques de Jair Bolsonaro colocam a mídia como grande inimiga da nação. É o que ele, seus filhos e sua militância cega acreditam. Segundo Relatório da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o presidente foi responsável por mais da metade dos ataques a profissionais da imprensa ocorridos em seu primeiro ano de governo. Além disso, o relatório reporta um crescimento de 54% nos ataques a jornalistas e veículos de comunicação no ano de 2019, totalizando 208 casos.

Nesse vídeo de dois minutos, vemos 6 ataques do presidente Jair Bolsonaro à imprensa, sendo eles:

  1. Jair Bolsonaro insulta a repórter Patrícia Campos Mello, colunista da Folha de São Paulo. “Ela queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim” em referência ao depoimento de Hans River, ex-funcionário de uma agência de disparos de mensagens por WhatsApp, na CPI das Fake News no Congresso. Veja a notícia detalhada aqui.
  2. Ao ser questionado pela imprensa sobre as suspeitas em torno de seu filho, Flávio Bolsonaro, o presidente dispara ao repórter: “Você tem uma cara de homossexual terrível, nem por isso eu te acuso de ser homossexual.” Veja a notícia detalhada aqui.
  3. Na mesma ocasião, ao ser questionado se teria comprovante do empréstimo que alega ter feito a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, responde a outro profissional: “Oh rapaz, pergunta para a tua mãe o comprovante que ela deu para o teu pai, tá certo?” Veja a notícia detalhada aqui.
  4. Numa coletiva de imprensa em Dallas, no Texas, ao ser questionado sobre o perfil das universidades brasileiras apontadas por ele como expoentes em pesquisa no Brasil, Jair sugeriu que uma repórter deveria voltar para uma “faculdade que preste” e fazer “um bom jornalismo”. Veja a notícia detalhada aqui. 
  5. Num questionamento da Folha à respeito do caso do secretário de Comunicação Social da Presidência, Fábio Wajngarten, Jair dispara: “Lamentavelmente, uma péssima imprensa que faz a Folha de S.Paulo. Outra pergunta, aqui acabou. Folha de S.Paulo está fora. Sai fora, Folha de S.Paulo, vocês não têm moral para perguntar nada”. Em seguida, ao ser questionado sobre a sanção do fundo eleitoral, rebateu: “Já falei que a Folha está fora. Você não aprende que a Folha está fora? A Folha é um lixo. A Folha é um lixo.” Veja a notícia detalhada aqui.
  6. Após reportagem da TV Globo sobre o caso Marielle, Bolsonaro não poupou seu vocabulário torpe para negar envolvimento com o crime. “Um jornalismo podre da TV Globo. Vocês não prestam”; “Por que esta patifaria por parte de vocês? Deixem eu governar o Brasil. Vocês perderam. Se o processo da renovação da concessão de vocês não estiver limpo, não terá concessão nenhuma. Vocês o tempo todo infernizam a minha vida, porra!” Veja a notícia detalhada aqui.

Podemos dizer que o presidente tem trabalhado incessantemente em busca da descredibilização da imprensa no país. Em suas entrevistas e posts em redes sociais, Jair Bolsonaro tem um comportamento padrão: sempre que questionado à respeito dos próprios erros e dos erros dos filhos, reage de maneira excessiva, com declarações estúpidas e impulsivas. Há, sem dúvida, uma tentativa de desviar o foco das denúncias contra o governo. Decerto, mesmo que ocupe o cargo mais alto do país, Bolsonaro não age de acordo. Dessa maneira, há sempre pauta para a camada verdadeiramente sensacionalista da mídia. A cada resposta, uma matéria.

Ainda que este seja um tema discutido com frequência no meio político do país, é necessária uma análise mais aprofundada das motivações e consequências desse comportamento torpe vindo do chefe maior da nossa nação.

Precipuamente, é válido reiterar a importância da imprensa livre para a democracia. Afinal, é graças ao trabalho dos jornalistas que podemos nos manter informados sobre o que está acontecendo – e, por meio de tal, contestar aquilo que é improcedente e assimilar o que for idôneo. A conduta do presidente – que faz um ataque à imprensa a cada 3,14 dias – é agressiva e autoritária, uma vez que afronta valores democráticos. Ele anseia por uma mídia subserviente, que omita toda e qualquer crítica. Para Bolsonaro, o meio de comunicação que tiver a “audácia” de questionar sua idiossincrasia – e, claro, a de seus filhos – é um inimigo.

Seja qual for sua intenção ao fazê-lo, seus constantes discursos de repulsa à imprensa, tais quais os ataques pessoais aos profissionais do jornalismo, são inadmissíveis. Ainda que impensadamente, Bolsonaro criou uma atmosfera na qual a sociedade menospreza continuadamente o valor da liberdade de expressão. Ademais, na ocorrência da divulgação de informações falsas, há vias judiciais para reparação. A retaliação à imprensa não é uma opção democrática, mas sim uma ferramenta autoritária que cala o jornalismo até que restem somente bajuladores.

O fato é que precisamos de uma imprensa livre, que fiscalize o governo e os governantes. Bolsonaro precisa, antes de tudo, compreender que, ao ocupar um cargo público, está sujeito à críticas e análises de suas ações. E, então, aprender a lidar com isso.

 “Se quisermos preservar a democracia tal qual a conhecemos, precisamos ter uma imprensa livre e, muitas vezes, adversária. Sem ela, temo que com o tempo perderíamos muitas das liberdades individuais. É assim que os ditadores começam.” John McCain

Referências:

  1. Bolsonaro fez ataque à imprensa a cada três dias em 2019, diz levantamento, UOL https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/01/02/bolsonaro-fez-ataque-a-imprensa-a-cada-tres-dias-em-2019-diz-levantamento.htm
  2. Maioria dos ataques a profissionais de imprensa em 2019 partiu de Bolsonaro, G1 https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/01/16/maioria-dos-ataques-a-profissionais-de-imprensa-em-2019-partiu-de-bolsonaro.ghtml
  3. Os ataques de Bolsonaro à imprensa, Gazeta do Povo https://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/editoriais/os-ataques-de-bolsonaro-a-imprensa-rede-globo-jornal-nacional/
  4. McCain: “A primeira coisa que os ditadores fazem é reprimir a imprensa” https://brasil.elpais.com/brasil/2017/02/19/internacional/1487527835_388348.html
  5. Caça ao jornalismo: entenda a onda mundial que ameaça a liberdade de imprensa https://www.ufrgs.br/humanista/2019/04/11/caca-ao-jornalismo-entenda-a-onda-mundial-que-ameaca-a-liberdade-de-imprensa/