fbpx
Professor de filosofia, jornalista e diretor do movimento Neoiluminismo. Entusiasta da filosofia, [geo]política, economia e literatura.
A direita conservadora revolucionária (?)

Mais uma vez estão querendo derrubar as instituições democráticas

02/08/2019 18h15

O Brasil é um país que conta com fenômenos peculiares em sua cultura e sociedade, algo que já ocorre há um certo tempo. Todavia, as bizarrices aparecem cada vez no cenário atual, mostrando o quão ingênua é essa direita crescente.

A massa popular, por uma necessidade existencial, se condiciona a um coletivismo infundado, conduzido por figuras retoricistas, como o rasputin de subúrbio da Virginia e suas conspirações malucas.

É claro que não se pode levar sempre ao pé da letra, mas Nelson Rodrigues tem suas razões para dizer que “toda unanimidade é burra”. Isso pode ser visto no cenário atual, com a “verdadeira direita”.

Há uma contradição explícita nesta direita robótica que segue incondicionalmente seu mestre. É inegável que esta direita toma para sí mesmo o título de “conservadora”, recorrendo a pautas que defendem a família, os bons costumes etc.

Mas o conservadorismo não pode se resumir a isso, como diz a própria tradição filosófica dos autores consagrados do conservadorismo. Partindo do mais essencial deles, Edmund Burke, encontra-se uma defesa da conservação das instituições democráticas e uma oposição à dissolução das mesmas.

Ou seja, qualquer pessoa com o mínimo de instrução entende que o conservadorismo se opõe à revolução. É até ululante escrever isto, mas parece que ninguém entendeu ainda. Talvez seja uma confusão entre o pensamento liberal e conservador, mas estes não são excludentes.

Certo, está claro que o conservador é contra revoluções, mas apoia reformas, pois isto não quebra um processo natural e espontâneo de desenvolvimento econômico e político.

Agora podemos ir para a “direita delirante” (rs). Esta mesma direita que se entitula conservadora, é a que pede o fechamento de instituições democráticas consolidadas em uma pequena, mas considerável história de desenvolvimento.

Pequenos grupos bolsonaristas e olavistas estavam histéricos pedindo o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional nas manifestações do dia 26. Ainda bem que essa ideia se tornou minoritária no dia das manifestações.

Agora, após uma série de acontecimentos que você pode conferir nesta notícia: “https://www.mblnews.org/noticia/stf-vergonha-nacional-e-assunto-mais-comentado-de-hoje-no-twitter-mas-por-que/“, os trending topics do Twitter está tomado por uma massa de pessoas pedindo o fechamento do STF. Já passam os 130 mil tweets sobre o assunto.

O problema é que nossa constituição, promulgada em 1988, pressupõe a república, os três poderes trabalhando em harmonia. Ou seja, para fechar o STF, é preciso rasgar a constituição e adivinha? Isto é um ato revolucionário!

Querem quebrar uma ordem natural que estabeleceu as instituições democráticas e ainda tem a alcunha de se chamar de conservadores.

Fica a reflexão para essa ala radical dos seguidores de Bolsonaro e do Jim Jones da Virginia: como ser conservador e revolucionário ao mesmo tempo? Acredito na capacidade do guru defender isso com seus sofismas.