Blog do Renan Santos
Estudante interrompido, músico frustrado, cozinheiro irregular e fundador (e membro mais controverso) do MBL.
Pesquisa: Moro e Mandetta superam Bolsonaro para 2022
Os ex-ministros ultrapassaram o capitão nas intenções de voto para o segundo turno

O preocupante desempenho de Jair Bolsonaro na última pesquisa Atlas, publicada nesta sexta-feira, acendeu um alerta no Planalto: o presidente não apenas perde com folga para os petistas Lula e Haddad; foi superado, também, por nomes da centro-direita.

Sergio Moro Henrique Mandetta
Sergio Moro Henrique Mandetta (Montagem)

Moro e Mandetta, ex-ministros do Bolsonaro, ultrapassaram o capitão de artilharia nas intenções de voto para o segundo turno. O ex-juiz e o médico estão, respectivamente, 0,4 e 0,3 pontos percentuais acima do atual mandatário, de acordo com o levantamento. Na última pesquisa XP/Ipespe, era apenas Moro a superar Bolsonaro em tal cenário.

Rejeição e derrota no próprio campo

A preocupação do time de Jair reside nos adversários dentro da direita. Bolsonaro sabe que apenas destruindo as demais alternativas poderá se configurar como voto útil para o pleito vindouro. Percebem — estão todos em campanha — que a rejeição ao presidente tende a aumentar. Devem, portanto, fidelizar base que o leve ao segundo turno, enquanto fomentam a rejeição e o desgaste de nomes alternativos no campo conservador.

Doria é o exemplo maior disso. O governador de São Paulo, figura menor na disputa, é ainda derrotado facilmente por Bolsonaro. O medo que desperta no Planalto, porém, é sintomático da paranoia que cerca o presidente. Destruí-lo é mandatário. Moro e Mandetta só não são vítimas da máquina de difamação de Carluxo na mesma escala pois operam abaixo do radar. Mas sua hora, aparentemente, chegou.

Com o aumento galopante da própria impopularidade, Bolsonaro deverá centrar ataques nos ex-juiz da Lava-Jato, adversário mais óbvio. Será auxiliado pelas descobertas recentes da “Operação Spoofing”, que caminha a passos largos para incriminar Moro e inocentar Lula. E quem ganha com isso?

O próprio Bolsonaro.

Cenário ideal para o presidente é polarização com PT, imaginado como “adversário ideal” para Jair. Não é, porém, o que as pesquisas mostram, com Haddad e Lula acumulando 4 e 3 pontos percentuais à frente do capitão de artilharia no segundo turno. Bolsonaro é nome fraco para derrotá-los. Mas isto é o que lhe resta como tábua de salvação. Se brecar o avanço de Moro e Mandetta, conseguirá a primazia enquanto nome conservador contra o petismo. Eis o óbvio plano do tomador de cloroquina.

O desafio para a oposição à direita é construir uma unidade que viabilize nomes como os de Moro e Mandetta contra Bolsonaro. Outras opções como Amoedo também são bem vindas. Crescendo no primeiro turno, retiram do rejeitado presidente a primazia do voto útil, firmando-se como alternativa. Eis o caminho das pedras tão temido pelo presidente e seus filhos.

Até o momento, nenhum membro da família real se pronunciou sobre o levantamento. Mas garanto que veremos, logo mais, as primeiras consequências da pesquisa-bomba. Minha aposta: haverá tuítes de Carluxo sobre “biografados” e a alogias com sexo anal em suas redes. É apenas questão de tempo.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria