fbpx
Bahia
Na Bahia PT controla mais de 6 bilhões no alto escalão do governo do estado

Sob comando de petista, pasta de educação conta com 5,6 bilhões

19/02/2019 09h18

Foi alvo de críticas por parte de aliados o montante do orçamento das secretarias de estado que passa pelas mãos dos correligionários do governador da Bahia, Rui Costa (PT), correspondente a 20%, já que para outros aliados como o PSD do senador federal Otto Alencar e para o PP passam, respectivamente, 6,7% e 2,6% do que é destinado ao alto escalão da administração estadual.

Para órgãos do estado é destinado o valor de R$ 46,4 bilhões dos quais R$ 32 bilhões ficam para as secretarias de estado, dinheiro este que, supostamente, é destinado a melhorias na atuação de cada pasta.

O PT possui no estado o controle direto das secretarias de Educação, Justiça e Direitos Humanos, Desenvolvimento Rural, Cultura, Relações Institucionais e Igualdade Racial o que corresponde a R$ 6,6 bilhões. Entretanto, a pasta que mais detém parcela do orçaçamento é a de Educação cujo montante é de R$ 5,6 bilhões e está sob o comando de Jerônimo Rodrigues, também do PT.

Motivo da reclamação por partes dos aliados é que tal valor é altamente superior ao das pastas controladas diretamente pelo PP e pelo PSD que não pegam mais de R$ 860 milhões com a Secretaria de Infraestrutura Hídrica e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e R$ 2,2 bilhões com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Secretaria de Infraestrutura, respectivamente.

Já as secretarias como da Administração, da Saúde e da Segurança Pública não possuem titulares indicados diretamente por partido, mas que também não ficam distantes de Rui Costa como o caso de Fábio Villas Boas, apontando como possível candidato do PT às eleições municipais de 2020, que está no controle da Secretaria de Saúde e detém R$ 5,4 bilhões do orçamento.

Pouco mais de R$ 292 milhões somados ficam com o PDT (0,5%) e o PR (0,4%).

Informações: Bahia Notícias.

Natural de São Paulo, mas residente em Salvador, é ouvinte de Alborghetti desde 2005, leitor de Olavo de Carvalho desde 2007 e membro do MBL-BA e articulista para assuntos chineses do MBL Nacional desde 2019. Suas principais influências na escrita e no pensamento são Oscar Wilde, Camilo Torres, Arthur Schopenhauer, Roger Scruton, Santo Agostinho, Machado de Assis e outros.