fbpx
Câmara Municipal
Feira de Santana/BA e seu aumento de salário exorbitante para a Gestão Municipal

Aumento de salário para vereadores e prefeito causa desconforto na população de Feira de Santana.

22/08/2019 18h32

Vereadores de Feira de Santana aprovaram por unanimidade o Projeto de Lei de nº 070/2019 que tenciona o aumento de salário das seguintes ocupações: prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e vereadores.

A data da publicação da lei será em 1° de janeiro de 2021

Atualmente o salário do gestor municipal é de R$18.000 e a partir de 2021 será de R$ 26.000.
Vice-prefeito, vereadores e secretários municipais recebem, hoje, R$15.000 e passarão a receber R$18.991.

O presidente da Câmara de Vereadores, José Carneiro (PSDB), indagou que os salários foram ajustados em 2008, e ressaltou que a aprovação do projeto não foi por legislação em causa própria. Mas vale lembrar, que o próprio vereador concorrerá à Prefeitura de Feira de Santana nas próximas eleições.

Seria embromação afirmar que os gestores estão mais preocupados em se beneficiarem, ao invés de estarem resolvendo problemas reais do interior da nossa cidade? Eu acho que não.

Uma das grandes problemáticas que a cidade enfrenta é a saúde. A falta de profissionais em UBS é um agravante que a população vem sofrendo.

Tomamos como exemplo à unidade de Saúde do Bairro Aviário na qual os moradores e beneficiários da mesma unidade se reuniram para chamar a atenção da Secretaria de Saúde do município. As pessoas relatam que há meses sofrem pela falta de médicos na área de pediatria, até mesmo enfrentam a falta de uma sala para atendimento dentário.

Seria rentável para a população Feirense que os atuais governantes pensassem em resolver os grandes problemas que prejudicam à toda comunidade, mas, ao contrário disso, pensam apenas em desfrutar do dinheiro público.

 Necessitamos que a população cobre dos Governantes elegidos por nós todos os seus direitos garantidos pela constituição Federal.

Art. 196 

A saúde é um direito de todos e dever do Estado, garantido mediantes políticas sociais, e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário (igualdade entre as pessoas) às de ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

Art. 197

São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao poder público dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita diretamente ou através de terceiros, e também, por pessoa física ou jurídica de direito privado.  

No dia 24 de agosto, o Movimento Brasil Livre fará um ato que busca recolher assinaturas, para impedir que este aumento seja vigorado. Assim que recolhidas as assinaturas, entrarão com uma ação no Ministério Público da Bahia.
Se todos nós fizermos a nossa parte e nos mobilizar contra essas insolências, conseguiremos uma mudança extraordinária em Feira de Santana.

23 anos. Apaixonada por psicologia criminal, pelo liberalismo econômico e pelo objetivismo.